ASSINE
Amanda Guedes, mãe da menina Alice, espera um menino
Amanda Guedes, mãe da menina Alice, espera um menino . Crédito: Arte | Marcelo Franco

Mãe da menina Alice espera um menino: "Emanuel veio salvar a minha vida"

No próximo domingo, Amanda Guedes vai passar o Dia das Mães sem a filha, mas, apesar da dor, está agradecida por trazer no ventre o Emanuel. Na reportagem, ela mostra o vídeo de quando ouviu o coração do bebê batendo

Publicado em 08/05/2020 às 12h45
Atualizado em 08/05/2020 às 13h14

Amanda Guedes

Mãe da Alice

"Foi um plano do Senhor para salvar a minha vida. O Emanuel veio para salvar a minha vida. Deus teve misericórdia de mim"

As palavras fortes são da Amanda Guedes, 23 anos, mãe da menina Alice, que perdeu a vida dentro de casa, vítima de bala perdida, em Vila Velha. Com 3 meses de gestação, Amanda engravidou dias antes do crime, mas só descobriu um mês depois, como A Gazeta publicou com exclusividade. Ela espera um menino e escolheu o nome Emanuel, que significa Deus conosco.

“O Emanuel é um empurrãozinho para eu seguir em frente, uma esperança, porque, mesmo que eu pense que isso nunca vai melhorar, é uma esperança de que dias melhores vão vir. Que vou pegar ele nos meus braços, que eu vou me distrair. Tenho esperança que vou viver um pouco”, diz.

Em muitos momentos da conversa, Amanda lembra da filha e se emociona. Deixa claro que cada um dos filhos tem o seu lugar e que a nova gestação não substitui a Alice, mas chegou no momento certo, como um presente.

Este vídeo pode te interessar

Sobre o Dia das Mães, a jovem não se sente preparada para passar pela data sem a filha. No entanto, fortalecida na fé, segue vivendo um dia de cada vez.

Amanda Guedes

Mãe da Alice

"Vai ser muito difícil pra mim. Mas, no fim de tudo, vou saber que Deus me deu Emanuel. Deus me deu um outro filho pra mim ser mãe novamente e pra mim escutá-lo me chamar de mãe de novo (emoção). Porque quando a minha filha nasceu, eu renasci. Foram os três anos mais felizes da minha vida. Ser mãe... Eu acho que é a maior maravilha que alguém pode viver na vida. Ainda fico pensando em quem não pode engravidar. Eu estou aqui, eu tenho. Deus me deu. Sou muito grata a Deus por esse grande presente"

Amanda continua, dizendo que ora muito pelas pessoas que sofrem, como as mães que não podem gerar filhos. “Para que elas tenham essa intimidade com o Senhor que salva a minha vida todos os dias, me levantando, e que me faz caminhar um dia após o outro”.

E é na fé que Amanda segue, buscando força em Deus, dando e recebendo carinho de uma multidão que passou a procurá-la nas redes sociais.

Amanda Guedes

Mãe

" Tenho tanta fé em Deus que isso que mantém viva, que me fortalece. Olho pra mim e não me vejo uma mulher forte, porque vivo aos cantos chorando, mas, ao mesmo tempo, levanto todo dia, tenho força para orar, tenho forças para louvar, para ajudar as pessoas que precisam, e isso me faz bem. Talvez o propósito foi esse: eu passar por isso pra contar a minha história para essas pessoas que precisam ouvir a experiência que Deus está fazendo na minha vida. Usar o consolo que fez e está fazendo. Deus está me abençoando muito. Deus envia anjos para te acalentar, te abraçar, te dar amor, te dar carinho. E isso é muito importante"

INQUÉRITO CONCLUÍDO

Nesta semana, após a reportagem conversar com a mãe da Alice, a polícia concluiu o inquérito do caso. A Polícia Civil anunciou, em coletiva realizada na manhã da última quarta-feira (6), que concluiu o inquérito de um crime que chocou o Espírito Santo: a morte da menina Alice da Silva Almeida, de 3 anos, vítima de bala perdida no dia 9 de fevereiro deste ano. Ela brincava no quintal de casa, no bairro Dom João Batista, em Vila Velha, quando um adolescente, que era alvo de criminosos da região, fugiu para a casa da família de Alice. A conclusão do caso mostrou que o ataque foi consequência da disputa do tráfico de drogas na região e que a ordem para matar o jovem que era alvo dos disparos partiu de dentro do presídio. Um dos atiradores continua sendo procurado e um menor ainda não foi apreendido.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.