Governo do ES define ordem de vacinação com as doses de Oxford

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) já definiu como será a "fila" entre os profissionais da saúde que receberão as 35.500 doses do imunizante

Vitória
Publicado em 27/01/2021 às 20h01
Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estão na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.
Vacinação - aplicação de vacina. Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) já definiu como será a "fila" entre os profissionais da saúde que receberão as 35.500 doses do imunizante produzido pela Universidade Oxford com a farmacêutica AstraZeneca. As vacinas chegaram ao Estado no último domingo (24).

Seguindo o Plano Operacional da Estratégia de Vacinação Contra a Covid-19 do Estado, a Sesa publicou a ordem de imunização dos profissionais da saúde no Diário Oficial desta quarta-feira (27): 

  1.  100% da Atenção Primária em Saúde (funcionários de Unidades Básicas de Saúde);
  2. 100% dos Hospitais e maternidades;
  3. Laboratórios: Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (LACEN) e demais laboratórios que fazem RT-PCR, exame que diagnostica a Covid-19;
  4. Trabalhadores da Subsecretaria da Vigilância em Saúde envolvidos em investigações epidemiológicas de campo relacionadas à Covid-19;
  5. Demais trabalhadores da saúde.

De acordo com Danielle Grilo, do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, o Espírito Santo tem 124.416 trabalhadores da área da saúde.

"Lembrando aqui que incluiu os das redes privada e particular e que não estamos falando de categoria profissional. Como não temos vacina para todo mundo ainda, num primeiro momento a prioridade será aos trabalhadores de áreas assistenciais", pontuou.

Danielle explicou que o Ministério da Saúde encaminhou para cada estado, até agora, doses suficientes para atender 100% da população indígena, 100% dos idosos e acamados em instituições de longa permanência e 64% dos trabalhadores da saúde. 

A perspectiva é vacinar - com as doses de Oxford e também da Coronavac - 79.626 trabalhadores da área nesse primeiro momento. 

"Os dois primeiros grupos foram atendidos. Agora, vamos ter que priorizar dentro do público alvo para atender a totalidade na medida que mais vacinas forem disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Acreditamos que vamos conseguir vacinar pelo menos os trabalhadores das unidades básicas e hospitais aqui do Estado", pontuou Grilo. 

O lote de 35,5 mil vacinas da Oxford será terão todas suas doses utilizadas  de uma só vez, diferentemente dos lotes da Coronavac que tiveram o quantitativo para as segundas doses reservado para que seja aplicado entre 14 e 28 dias após a primeira.

"O motivo é que o intervalo entre a primeira e a segunda dose da Oxford é de três meses e o Ministério da Saúde e a Fiocruz garantiram que haverá vacinas para os Estados nesse espaço de tempo", explicou Danielle Grilo.

Ministério da Saúde SESA Coronavírus no ES Vacina Campanha de vacinação

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.