ASSINE

"Foliões" desafiam PM e prefeituras com festas clandestinas na Grande Vitória

Mesmo com decretos municipais proibindo festas, blocos e atuação de vendedores ambulantes em função da pandemia, normas foram descumpridas. Em Vitória, festa clandestina terminou em confronto com a polícia

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 14/02/2021 às 12h48
Atualizado em 14/02/2021 às 12h48
Bloco de carnaval em Itararé é registrado por morador
Bloco de carnaval nos entornos do Bairro da Penha foi registrado por morador. Crédito: Internauta

Contrariando as recomendações das organizações de saúde, e até mesmo decretos das prefeituras da Grande Vitória proibindo qualquer realização de blocos nas ruas, eventos em espaços públicos e atuação de ambulantes, a noite de sábado foi marcada por excessos por parte dos “foliões”, que realizaram festas clandestinas e envolveram-se em confrontos com a polícia.

Na Capital, policiais militares foram acionados para verificar uma festa clandestina que estaria acontecendo no Bairro da Penha, após a realização de um bloco de carnaval, também clandestino.

“No local as equipes foram hostilizadas pelas pessoas, que lançaram garrafas de vidro, pedras, pedaços de madeira e outros objetos nos militares. Devido ao fato, foi necessário o uso de equipamentos não letais para cessar as agressões”, informou a Polícia Militar do Espírito Santo, por meio de nota.

Ainda segundo a corporação, após a ação, os participantes da festa se dispersaram e ninguém foi detido. Também não houve informações sobre feridos.

O início dessa confusão – em meio à pandemia de Covid-19, que já deixou mais de 6 mil mortos no Estado e que pode se agravar com a circulação de novas cepas do coronavírus, muito mais transmissíveis – já havia sido noticiado por A Gazeta.

Em Vitória, pelo menos três festas irregulares foram flagradas por leitores no sábado (13). O bloco mencionado pela PM circulou pelas ruas do bairro a partir das 14 horas e aglomerou, segundo moradores, cerca de 350 pessoas na frente de uma distribuidora de bebidas. Houve bateria tocando samba e, durante a noite, som automotivo. Também foram registradas aglomerações no Centro e na Rua da Lama.

Segundo a Prefeitura de Vitória, o Comitê Integrado em Combate à Covid-19, composto pelas Secretarias Municipais de Desenvolvimento da Cidade (Sedec), de Segurança Urbana (Semsu), de Meio Ambiente (Semmam), pela Vigilância Sanitária, pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros, juntamente com a Guarda Municipal, tem realizado a fiscalização de espaços comerciais durante o período de Carnaval.

No Centro, por exemplo,  nove estabelecimentos tiveram as atividades paralisadas no sábado (13) por irregularidades nos protocolos de segurança e/ou funcionamento fora do horário permitido. De acordo com a administração municipal, abordagens e a retirada de ambulantes foram necessárias, inclusive, com apreensão de cinco mesas que foram postas na rua para consumo de bebidas. 

BAILE FUNK CLANDESTINO

A noite também foi longa na Serra, onde a fiscalização identificou, na noite de sábado, um baile funk clandestino no bairro São Lourenço. Segundo a administração municipal, o local foi interditado pela equipe de Posturas, juntamente com a Guarda Municipal.

Baile Funk é paralisado em Serra Sede
 Baile funk foi interrompido em Serra-Sede. Crédito: Divulgação/Fiscalização Integrada da Prefeitura da Serra

Em Carapebus, três pessoas foram detidas por suspeita de tráfico de drogas, de acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente da Serra. A pasta também informou que quatro estabelecimentos de Bicanga foram orientados pela fiscalização por estarem com som alto.

Em Vila Velha, a prefeitura informou que realizou no sábado uma ação conjunta com Polícia Militar, Guarda Municipal e equipes de fiscalização em vários bairros da cidade, como: Itapuã, Itaparica, Praia da Costa, Santa Mônica, Prainha, Riviera da Barra e Barra do Jucu – neste último, moradores registraram, em vídeos enviados para A Gazeta, carros com som alto ligado, vendedores de bebidas e muitas pessoas sem máscara aglomeradas durante uma festa clandestina.

“Ao todo foram lavradas dez notificações, incluindo paralisações de som e orientações a aproximadamente 20 estabelecimentos comerciais,  como lanchonetes, bares, restaurantes, dentre outros”, informou a Prefeitura de Vila Velha.

A Prefeitura de Cariacica também foi questionada sobre ocorrências no sábado de carnaval no município, mas não retornou até a publicação deste texto.

A Polícia Militar do Espírito Santo esclareceu que a tabulação dos dados será feita somente após o final da Operação Carnaval.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.