ASSINE

Faculdades do ES  vão priorizar estágio e aula prática na primeira fase

O retorno será gradual e os alunos têm a opção de permanecer em casa para fazer as atividades teóricas

Publicado em 11/09/2020 às 10h29
Atualizado em 11/09/2020 às 15h00
Jovem assistindo aula no notebook - videoaula
Muitos alunos vão continuar apenas com as aulas on-line apesar de autorizado o retorno às faculdades. Crédito: Julia Cameron/Pexels

As instituições de ensino superior do Espírito Santo estão autorizadas a retomar as atividades presenciais na próxima segunda-feira (14). O retorno, como definido em protocolo do governo do Estado para prevenção e controle da Covid-19, é gradual e deve respeitar a capacidade de ocupação das salas, cujo limite é definido de acordo com o seu tamanho. Assim, muitas faculdades estão dando prioridade a aulas práticas e estágios. 

Na Faesa, a previsão é de que 2 mil estudantes retomem as aulas presenciais, o equivalente a 20% do total de matriculados no centro universitário.  "Para garantir o isolamento social, será priorizada a realização das atividades práticas no presencial, mantendo parte das disciplinas teóricas no formato digital como medida de contenção da pandemia. A ocupação segura no campus se dará com revezamento em algumas disciplinas, que poderão dividir a turma por atividades ou entre o acompanhamento digital e presencial", pontua a instituição, por meio da assessoria. 

Na instituição, o protocolo de segurança e proteção à saúde foi elaborado por um comitê de gestão a partir das orientações sanitárias e, no documento, estão previstas, entre outras medidas, "a ocupação dos espaços com distanciamento seguro, higienização adequada dos campi a cada turno, controle de acesso com a medição de temperatura e uso obrigatório de máscaras."

O Unesc também vai dar prioridade às atividades práticas e de estágio no retorno gradual nos campi de Colatina e da Serra, devendo alcançar 46% dos alunos, distribuídos dentro e fora da instituição, em dias e horários alternados. "Tendo em vista que as aulas teóricas e as sessões tutoriais estão sendo integralizadas com a manutenção do processo de ensino e de aprendizagem, para essas ficam mantidas as atividades acadêmicas de forma remota, visando à garantia do distanciamento necessário nas áreas de circulação e das demais medidas para a segurança da comunidade acadêmica", atesta o centro universitário, em nota. 

Na UVV, as disciplinas teóricas e teórico-práticas poderão ser acompanhadas na modalidade telepresencial exclusivamente, se assim for do interesse do aluno. A universidade está fazendo um levantamento para identificar a quantidade de estudantes que pretendem retomar as atividades presenciais a partir de segunda, o que ajudará a instituição na organização para o retorno. 

Nos oito campi da Multivix, a estimativa é que 25% dos alunos (6,7 mil) retornem às salas de aula, uma vez que a maioria optou por continuar os cursos na modalidade on-line. A instituição assegura que os estudantes que são do grupo de risco ou que se sentem mais confortáveis com o formato remoto não serão prejudicados. Para os que retornarem, os espaços estarão adaptados para o distanciamento social e será adotado um plano de revezamento das turmas.

No momento, na Estácio, presencialmente também somente serão oferecidas as atividades de estágio.  "É importante acrescentar que o retorno neste momento das atividades de estágio é opcional. Ou seja, os alunos que, por algum motivo, não desejarem retornar, poderão fazê-las posteriormente, sem nenhum prejuízo. O restante das atividades presenciais será retomado progressivamente, de acordo com a evolução do cenário no Espírito Santo", destaca a faculdade.

VOLTA MAIS TARDE

Mesmo instituições que não vão retornar na segunda, já estabeleceram como será o procedimento.  É o caso da Emescam, que está em fase de adequação e implementação do plano estratégico para adoção das medidas administrativas e sanitárias solicitadas no decreto publicado pelo governo, tais como aferição de temperatura e distanciamento social. "Entretanto, não há data definida para o retorno às aulas, que será gradual e, no primeiro momento, apenas para aulas práticas", diz a nota da faculdade.

A Unisales, por sua vez, promoveu uma pesquisa com o público interno e, segundo a assessoria da instituição, constatou-se que a maioria dos alunos mostra-se insegura com o retorno das atividades presenciais. Esses dados estão em análise para a definição do cronograma de volta às aulas. De todo modo, a estratégia já definida é que começará com os estágios da saúde, seguidos pelas atividades práticas. 

A Fucape espera que as atividades presenciais possam ser retomadas ainda neste mês e, para tanto, também está fazendo uma pesquisa com os alunos a fim de orientar a atuação da faculdade. Entretanto, já é certo que, na instituição, os estudantes poderão escolher continuar as aulas exclusivamente em casa. 

Na FDV, o planejamento para o retorno está em andamento. "Neste momento, está sendo construído, de forma coletiva, um plano estratégico de prevenção e controle para um possível retorno, observando rigorosamente o disposto na Portaria número 01-R Sesa e Sedu. Já foram realizados encontros com representantes estudantis e o levantamento de informações sobre os professores e colaboradores que integram os grupos de risco. Assim como todos os pontos desse planejamento, a definição de uma data de retomada das aulas presenciais também será uma decisão coletiva, que será tomada em concordância com nossos alunos, professores e colaboradores", informa a instituição, por nota.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Espírito Santo Coronavírus Covid-19 espírito santo Ensino Superior

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.