ASSINE

Estrada entre Jerônimo Monteiro e Muqui completa três anos interditada

Trecho da rodovia ES 177 foi fechado em junho de 2018, após um desmoronamento de pedras e terra. Local passa por obras, mas moradores da região reclamam da demora

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 09/07/2021 às 14h20
Estrada que liga Jerônimo Monteiro a Muqui segue interditada
Estrada que liga Jerônimo Monteiro a Muqui segue interditada. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

A Serra da Aliança, na ES 177 – rodovia que liga os municípios de Jerônimo Monteiro Muqui, no Sul do Espírito Santo – permanece interditada. Há três anos, desde que pedras e terra desmoronaram e bloquearam a pista, moradores da região esperam pela conclusão de obras para que a via seja liberada com segurança.

Atualmente, o trecho passa por obras realizadas pelo Departamento de Edificações e de Rodovias do Estado do Espírito Santo (DER-ES). Em janeiro deste ano, o órgão deu um prazo de quatro meses para liberar pelo menos parte da rodovia, mas tudo continua interditado.

Quem passa pelo trecho diariamente reclama da demora. “Pouca coisa mudou de janeiro para cá. A obra andou só um pouco, tiraram uma parte da terra”, disse o enfermeiro Adeir Rodrigues Bragança.

Para não enfrentar 60 quilômetros do trajeto de desvio, os motoristas continuam usando um trecho de estrada de chão, aberto por máquinas da Prefeitura de Muqui. Por conta do perigo da via improvisada, uma decisão judicial proibiu o uso da pista no ano passado.

“Tenho bastante medo, mas preciso passar aqui, não tem como andar 60 km para dar a volta. Isso precisa melhorar, está ruim”, disse o agricultor Paulo Sérgio Roberto.

A obra de contenção da Serra da Aliança foi orçada em mais de R$ 5 milhões e o contrato de execução do serviço termina em maio de 2022.

Segundo o DER, o trecho passa por avaliações e segue em obras, no prazo. Já o Ministério Público do Estado Espírito Santo (MPES), por meio da promotoria de Justiça de Muqui, disse que não recebeu retorno sobre pedido de um estudo de viabilidade para estabelecer desvios temporários na rodovia. Falou ainda que foram realizadas obras no local, sem informar prazo de conclusão.

Com informações da repórter Priciele Venturini, da TV Gazeta Sul. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.