ASSINE

Devota doa 25 mil lanches em romaria após cura de câncer

Durante 10 anos, Angelica alimentou os romeiros. Hoje ela convive com outro tumor. “Agradeço a cura de um câncer e a resiliência ao aceitar outro. Fé indestrutível”

Publicado em 09/04/2021 às 10h00
Atualizado em 09/04/2021 às 10h01
Angélica (terceira da esquerda para a direita no primeiro plano) com a turma engajada na campanha.
Angélica (terceira da esquerda para a direita no primeiro plano) com a turma engajada na campanha. Crédito: Arquivo Pessoal

A fé da secretária Maria Angelica Freire Cordeiro, de 54 anos, não adoece. Vítima de dois tipos de câncer num período de 10 anos, a devota da padroeira do Estado nutriu a perseverança ao longo desse tempo distribuindo comida e bebida para saciar fome e sede dos participantes da Romaria dos Homens. A campanha de arrecadação ganhou uma dimensão tão grande e inesperada que, por questões de logística, começava três meses antes da Festa da Penha e, no dia, chegava a fornecer 25 mil lanches.

Esta história tem início com a cura do primeiro tumor na mama. Era 2008, e Angélica tinha perdido recentemente a sogra, que levava bolo e café para o filho, o marido da secretária, no caminho da procissão. Para não deixar o esposo com fome e seguir a tradição da familiar que morreu, ela tomou a missão por legado.

“Meu marido e o sobrinho faziam a refeição, mas sobrava muita coisa. A comida que restou eu tive muita dificuldade em distribuir. Os romeiros pensavam que eu iria cobrar algo, não achavam que era de graça. Foi nesse dia que decidi: para agradecer pela cura do câncer que descobri em 2007, vou oferecer os alimentos para os fiéis e montar um ponto de apoio na Glória (rota da caminhada)”, lembra.

Maria Angélica Freire Cordeiro diz que agradece a Deus por tudo que acontece em sua vida.
Maria Angélica Freire Cordeiro diz que agradece a Deus por tudo que acontece em sua vida. Crédito: Arquivo Pessoal

Iniciava-se em 2009, na edição seguinte da Festa da Penha, um projeto que marca a vida dessa católica até hoje. A cada ano, a mobilização ganhava mais adeptos e contribuições. “A gente oferecia de tudo para os andarilhos: frutas, pães, bolos, água, sucos, cachorro-quente... Meu apartamento, de apenas 74 metros quadrados, ficava inabitável (risos) às vésperas. Vinham doações de todas as partes. Era algo surpreendente. Deus tinha me dado a cura. Eu precisava mostrar minha retribuição. Em 2016, batemos o nosso recorde e oferecemos 25 mil lanches, que precisaram ser transportados de caminhão. Quando montávamos o ponto de apoio, éramos surpreendidos com mais doações no local”, ressalta.

Mas o engajamento tão forte da secretária teve de ser interrompido. Em outubro de 2017, um outro câncer de mama acometeu Angelica, desta vez levando à metástase para o pulmão. Na Festa da Penha de 2018, ela já não participou ativamente. Deixou os trabalhos nas mãos de amigos para se cuidar. “Era um outro tipo de tumor, diferente do primeiro. As pessoas continuaram meu projeto, mas não naquela proporção que eu mantinha. Naquele ano, eu levei minha cadeirinha e fiquei acompanhando no ponto de apoio. Estava com a imunidade baixa, não poderia ter contato tão de perto com o público. A mesma coisa ocorreu em 2019. Já em 2020, a festa foi virtual.”

Equipe de voluntários em momento de união e agradecimento.
Equipe de voluntários em momento de união e agradecimento. Crédito: Arquivo Pessoal

Diante de tantas dificuldades, a devota não esmorece e diz ter uma fé inabalável em Nossa Senhora. “Agradeço pela minha cura de um câncer e pela resiliência ao aceitar um outro. A minha fé na Virgem da Penha é indestrutível. Coloquei tudo na mão de Deus pedindo a intercessão dela. O meu câncer é para o resto da vida. Não tem cura, tem controle, com o uso de medicação. Tive Covid-19 no ano passado de forma assintomática, descoberto apenas porque fiz um exame de rotina. Em tudo eu dou graças. Não tenho medo de nada.”

O depoimento de Angelica foi colhido por A Gazeta depois de ela ter preenchido um formulário que convidava os leitores a contar sua história de devoção. Veja abaixo alguns outros relatos de fé que foram enviados:

FESTA DA PENHA 2021

Fique por dentro de todas as informações da Festa da Penha 2021. Acompanhe a página especial do evento em A Gazeta: agazeta.com.br/festadapenha.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.