> >
Criança de 3 anos é picada por cobra jararaca em creche na Serra, diz mãe

Criança de 3 anos é picada por cobra jararaca em creche na Serra, diz mãe

Gael Lopes Matias foi picado, segundo a mãe, na última terça-feira (2); menino teve alta e está em casa, sem correr riscos

Publicado em 4 de abril de 2024 às 10:48- Atualizado há 11 dias

Ícone - Tempo de Leitura 4min de leitura

Um menino de três anos foi picado no pé direito por uma cobra jararaca dentro do Centro Municipal de Educação Infantil Bem-Me-Quer, no bairro Hélio Ferraz, na Serra, na última terça-feira (2), segundo relatado pela mãe dele, Thalita Matias. A mulher utilizou a rede social para denunciar que a creche teria tratado o caso como um "tropeço", sem informar sobre o contato com o animal peçonhento. Gael Lopes Matias então foi levado para um hospital da Serra, onde foi constatada a picada da cobra.

Em um vídeo de sete minutos publicado na tarde de quarta-feira (3), a vendedora Thalita Matias contou como tudo aconteceu e se emocionou ao dizer que o socorro rápido foi determinante para que o filho continuasse vivo. A criança teve alta na quarta-feira (3) e não corre riscos, segundo a mãe.

Aspas de citação

A médica disse que se eu não tivesse ido rápido, meu filho poderia estar morto. Deus colocou anjos na minha vida naquele hospital. Pelos exames, constatou que foi uma cobra jararaca que picou meu filho. Pedi à Deus para não deixar meu filho morrer

Thalita Matias
Mãe da criança picada pela cobra
Aspas de citação

De acordo com ela, a criança foi deixada na escola por volta das 13h. Menos de duas horas e meia depois, Thalita recebeu uma mensagem de uma funcionária da creche informando sobre o machucado da criança. A mulher, então, foi à unidade de ensino verificar o que havia acontecido.

Criança de 3 anos foi picada por cobra dentro de creche na Serra
Criança de 3 anos foi picada por cobra dentro de creche na Serra. (Arquivo pessoal)

Thalita afirmou que não teve permissão para entrar na creche para buscar o filho, precisando esperar que ele fosse até ela. "Quando vi ele, estava sem sandália. Aquilo não foi um tropeço. O pé do meu filho estava horrível", relatou no vídeo.

Gael foi levado pela mãe até um hospital, onde foi feito um raio-x. O exame, porém, indicou que o pé da criança estava "intacto", de acordo com Thalita Mathias. "A doutora me disse que o machucado teria sido uma picada de uma aranha, escorpião ou cobra", contou a mãe no vídeo.

Uma foto compartilhada pela mãe da criança mostra o resultado dos exames. Em um documento, o profissional da saúde responsável pelos cuidados no caso detalhe que a pele estava com "bolha eritomitoda com presença de sangue". O relatório ainda aponta que a lesão é compatível com uma picada de animal peçonhento.

Trecho do documento compartilhado pela mãe informa que a lesão é compatível com picada de animal peçonhento
Trecho do documento compartilhado pela mãe informa que a lesão é compatível com picada de animal peçonhento. (Reprodução | Instagram)

Gael está melhor e voltou para casa

O menino Gael Lopes Matias, de três anos, teve alta do hospital na quarta-feira (3). Conforme a mãe, a criança está bem e não corre riscos. "Gael está muito bem, e a médica pediu para ele ser observado", disse.

No hospital, a criança passou por uma raspagem - a técnica é utilizada para remover os ferrões de animais. Em crianças pequenas, o risco após picadas é de alterações sistêmicas que podem levar a casos graves. Por esta razão, isso exige soroterapia, o que foi realizado com Gael, de acordo com a mãe.

O que diz a Polícia Civil

No vídeo publicado na quarta-feira (3), Thalita Matias informou que registraria um boletim de ocorrência para que a polícia investigasse o caso. A reportagem procurou a Polícia Civil para saber se há alguma investigação em andamento.

A corporação disse, em nota, que "se a vítima tiver registrado um boletim de ocorrência em uma delegacia ou pela internet, o caso está em processo de investigação por uma unidade policial". "A colaboração da população é fundamental para o trabalho policial e pode ser feita anonimamente por meio do Disque-Denúncia 181, que também dispõe de um site para anexar imagens e vídeos de atividades criminosas, acessível em disquedenuncia181.es.gov.br. O anonimato é garantido, e todas as informações recebidas são investigadas", pontuou a Polícia Civil, em nota.

O que diz a Prefeitura da Serra

Considerando que a criança foi picada pela cobra dentro de uma creche do município, a Prefeitura da Serra foi procurada por A Gazeta para responder sobre o caso. A reportagem perguntou o que foi feito pela prefeitura após o ocorrido, se a creche realiza dedetização contra animais peçonhentos e o que foi informado aos pais, mas não obteve retorno.

Em nota, a Secretaria de Educação da Serra informou que está analisando as imagens do circuito interno de videomonitoramento para verificar se há algum registro do suposto ocorrido. Informou também que na última quarta-feira (3) já foi feita varredura no local por fiscais da Vigilância Ambiental e Fiscalização Ambiental da Prefeitura da Serra e não foi encontrado nenhum animal peçonhento.

A Sedu reforçou que o CMEI está em dia com o cronograma de dedetização e controle de pragas. Porém, como precaução, o local passará por nova dedetização nesta quinta (4) e sexta (5) e, por isso, as aulas estão suspensas na unidade de ensino.

"Vale salientar, também, que será aberto um processo administrativo para apurar todas as responsabilidades. A Sedu está acompanhando o caso junto à família", informou em nota.

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais