ASSINE

Covid-19: ES tem três microrregiões próximas do risco muito baixo

As microrregiões Sudoeste Serrana, Central Serrana e Litoral Sul apresentam índices de vacinação próximos à meta para atingir a cor azul no Mapa de Risco da Covid-19

Vitória
Publicado em 29/10/2021 às 13h19
Pedra Azul uma das belezas das montanhas capixabas
A região Sudoeste Serrana, onde está localizada a Pedra Azul, pode ir ao risco muito baixo da Covid-19. Crédito: Yuri Barichivich

Três microrregiões de saúde do Espírito Santo estão próximas de atingir a classificação de riso muito baixo de transmissão da Covid-19, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) coletados nesta sexta-feira (29). A microrregião Sudoeste Serrana, a Central Serrana e a Litoral Sul apresentam índices de vacinação próximos aos da meta estabelecida pela secretaria, o que as credencia a serem apontadas na cor azul no Mapa de Risco da doença nas próximas semanas.

De acordo com os dados da Sesa, a microrregião Sudoeste Serrana é a que está mais próxima dos índices estabelecidos pelo governo do Estado para passar ao risco muito baixo. Duas metas, inclusive, já foram ultrapassadas: a vacinação de adultos acima dos 18 anos com a segunda dose, cuja meta é 80%, já chegou aos 81,56%; enquanto a imunização de adolescentes com idades entre 12 e 17 anos com a primeira dose, que deve chegar a 90%, atingiu 92,28%.

A única meta estabelecida ainda não atingida pela microrregião Sudoeste Serrana é a vacinação com a dose de reforço em idosos. Para chegou à cor azul no Mapa de Risco, esse índice deve estar acima de 90%, mas, até o momento, está em 53,85%.

Este vídeo pode te interessar

A microrregião Litoral Sul também está próxima de chegar à classificação de risco muito baixo de transmissão da Covid-19. Isso porque, segundo os dados da Sesa, já ultrapassou um dos índices estabelecidos: a vacinação de adolescentes com a D1, que está em 91,68% nos municípios que integram a microrregião.

Os outros índices estabelecidos, a vacinação contra a Covid-19 de adultos acima dos 18 anos com a segunda dose está em 77,37% e a imunização de idosos com a dose de reforço atingiu 55,6% na microrregião Litoral Sul.

Já a microrregião Central Serrana possui também um indicador de vacinação com níveis acima da meta estabelecida: a imunização de adultos com a segunda dose, que chegou a 80,09%. Os outros indicadores ainda não atingiram o percentual necessário para passar à classificação de risco muito baixo, mas estão perto.

A vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos com ao menos a primeira dose contra a Covid-19 está em 88,54%. Já a aplicação da dose de reforço em idosos atingiu o patamar de 60,22% - colocando a microrregião Central Serrana como a mais avançada neste critério.

ENTENDA O RISCO MUITO BAIXO

Na classificação azul no Mapa de Risco, os municípios poderão adotar medidas menos restritivas, como liberação de eventos com a capacidade máxima permitida pelo Corpo de Bombeiros - mas sendo mantido o uso de máscaras e comprovada a vacinação contra a Covid-19. Para chegar ao risco muito baixo, as microrregiões devem atingir níveis de vacinação entre adolescentes, adultos e idosos. São eles:

  • 80% da população acima dos 18 anos precisa estar vacinada com as duas doses 
  • 90% dos idosos precisam estar vacinados com a terceira dose, conhecida como "dose de reforço"
  • 90% da população dos adolescentes de 12 a 17 anos precisa ter tomado a primeira dose
Protesto dos cobradores de ônibus do Sistema Transcol - Eles saíram da Praça de Jucutuquara e seguiram até o Palácio Anchieta, em Vitória
Uso de máscaras deverá ser mantido, mesmo nas microrregiões em risco muito baixo. Crédito: Fernando Madeira

Segundo o governo do Estado, Renato Casagrande, no risco muito baixo, as medidas restritivas aplicadas aos demais riscos (baixo, moderado, alto e extremo) serão extintas. Portanto, não haverá restrições para atividades econômicas, sociais e culturais. Contudo, os municípios deverão permanecer com a recomendação do uso das máscaras e garantir ao menos um ponto de testagem no território com livre demanda para a população.

Uma vez que uma microrregião entra na classificação de risco muito baixo, representada pela cor azul no Mapa de Risco, ela não sairá mais, a não ser que haja nova crise sanitária.

TODO O ES EM RISCO MUITO BAIXO EM NOVEMBRO

A expectativa da Sesa é de que todas as microrregiões possam estar em risco baixíssimo para Covid-19 até novembro. A afirmação foi do secretário da Saúde de Estado, Nésio Fernandes, durante coletiva de imprensa virtual realizada no último dia 21.

“Precisamos reconhecer que a ampla maioria da população decidiu optar pela ciência e pela vida. O negacionismo foi praticamente derrotado, pois 95% da população adulta já foi vacinada pelo menos com a primeira dose ou dose única. Estamos entre os Estados com maior adesão à vacina. Reafirmamos a possibilidade concreta de ainda em novembro termos todas as microrregiões classificadas com risco muito baixo. É pouco provável que cheguemos em dezembro com risco baixo ou moderado”, disse o secretário, na ocasião.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.