ASSINE

Após lockdown, Boa Esperança libera reabertura do comércio

O decreto, que passa a valer a partir desta segunda-feira (1), estabelece horário de funcionamento para as atividades consideradas não essenciais

Publicado em 01/06/2020 às 10h23
Atualizado em 01/06/2020 às 12h06
Após lockdown, Boa Esperança libera reabertura do comércio
O comércio pode voltar a funcionar em horário específico a partir desta segunda-feira (1). Crédito: Prefeitura de Boa Esperança/Divulgação

Após 11 dias de suspensão do funcionamento do comércio durante o período de lockdown, palavra em inglês que significa confinamento, a Prefeitura de Boa Esperança, na Região Noroeste do Espírito Santo, autorizou a retomada das atividades consideradas não essenciais. O decreto, assinado pelo prefeito Lauro Vieira, passa a valer a partir desta segunda-feira (1).

De acordo com as recomendações, o retorno das atividades está liberado de segunda a sexta-feira, no horário das 7h30 às 13h e no sábado, das 7h30 às 12h. No entanto, apesar da flexibilização das medidas no comércio local, os lojistas precisam adotar medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus, seguindo orientações do decreto municipal.

Com o novo decreto, estabelecimentos considerados essenciais, como farmácias, drogarias, distribuidores de gás e água, supermercados, padarias e outros, poderão funcionar sem restrições.

Correspondentes bancários e lotéricas terão o funcionamento permitido de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. Os estabelecimentos deverão organizar as filas na área externa, respeitando o distanciamento mínimo de 1,5 m. Já os caixas eletrônicos funcionarão normalmente até as 20h, inclusive aos sábados, domingos e feriados. No entanto,  o atendimento ao público continua proibido em todas as agências bancárias públicas e privadas do município.

A medida também prevê a liberação das feiras livres no município. As feiras acontecerão sempre às sextas-feiras, das 14h às 18h, respeitando as medidas de prevenção.

Restaurantes, lanchonetes e similares poderão funcionar somente com delivery, que é o serviço de entrega em domicílio ou retirada no local. Neste último, os consumidores não poderão consumir os produtos nos estabelecimentos.

Eventos e atividades com a presença de público continuam suspensos, assim como templos religiosos que devem permanecer fechados.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Seguindo o novo decreto, para funcionar, os lojistas deverão adotar algumas medidas de prevenção contra o novo coronavírus.

Entre as medidas, estão disponibilizar equipamentos de proteção para os funcionários. Disponibilizar dispensers com álcool em gel 70% em pontos estratégicos, além de retirar objetos que possam promover a contaminação, como copos, toalhas e enfeites.

Os comerciantes devem também limitar a entrada de clientes no estabelecimento, evitando aglomeração de pessoas no interior das lojas.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.