ASSINE

Bosque das Cerejeiras reabre visitação em Pedra Azul e vira point de fotos

Visitação agora custa R$ 10 por pessoa e valor dos ingressos vai apoiar projeto de equoterapia que atende Apae da região. Árvores exóticas ficam floridas só entre julho e agosto

Vitória
Publicado em 24/07/2021 às 06h00
O Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul, atrai até 2 mil turistas por fim de semana. Árvores exóticas ficam floridas só no inverno, entre julho e agosto, todos os anos no Espírito Santo
O Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul, atrai até 2 mil turistas por fim de semana. Árvores exóticas ficam floridas só no inverno, entre julho e agosto, todos os anos no Espírito Santo. Crédito: Pedra Azul Ecologia/Divulgação

As 61 árvores que enfeitam os 1,5 mil metros quadrados do Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul, estão mais lindas do que nunca! O local, que reabriu depois de se manter fechado em 2020 pela pandemia da Covid-19, fica florido entre julho e agosto de todos os anos. Nesta temporada de inverno, recebe até 2 mil visitantes por fim de semana.

"Está mais florido que nos outros anos e está um sucesso de floração. As pessoas estão mesmo vindo e o fato de ser um ano com mais flores dos últimos tempos está chamando a atenção do público", conta Fabrícia Canal, responsável pelo departamento de Turismo da Pedra Azul Ecologia, empresa que administra o espaço, que é particular.

Neste ano, inclusive, a direção do local passou a cobrar uma entrada de R$ 10 por pessoa para a visitação, que até então era de graça. Só que o dinheiro é 100% revertido em caridade, ajudando projeto de equoterapia que atende cerca de 25 crianças assistidas pela Apae de Venda Nova do Imigrante, região Serrana do Espírito Santo.

O Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul, atrai até 2 mil turistas por fim de semana. Árvores exóticas ficam floridas só no inverno, entre julho e agosto, todos os anos no Espírito Santo
O Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul, atrai até 2 mil turistas por fim de semana. Árvores exóticas ficam floridas só no inverno, entre julho e agosto, todos os anos no Espírito Santo. Crédito: Pedra Azul Ecologia/Divulgação

"Esse ano tivemos muita procura de gente que queria visitar o bosque, então a direção decidiu reabrir, mas com um propósito, que é o de ajudar esse projeto social de equoterapia. Até então, toda a manutenção do espaço era feita e nenhum custo era repassado para os turistas", conta a responsável.

Apesar de serem bem adaptadas onde estão, as árvores são consideradas exóticas e precisam de cuidados especiais. Segundo Fabrícia, regularmente é necessário que se faça a poda das cerejeiras, que também precisam de alguns outros cuidados de jardinagem específicos.

Neste ano, pelo surto de coronavírus, a administração também está controlando o número de visitas simultâneas ao bosque. Também é exigido o uso permanente de máscara de proteção facial e higienização das mãos com álcool em gel. Por hora, só são permitidos até 300 visitantes ao mesmo tempo.

"Como há 61 árvores, nem sempre as pessoas estão só tirando foto ou juntas no mesmo lugar, porque é um espaço aberto e a amplo. Mas estamos tendo esse cuidado, porque em alguns dias chegamos a receber até 400, 500 turistas em um período de tempo curto. A procura é muito alta principalmente no fim de semana”, reitera.

SERVIÇO

  • Bosque das Cerejeiras, em Pedra Azul
  • Local: Rota do Lagarto, próximo à sede do Parque Estadual da Pedra Azul
  • Visitação: aberta de terça a domingo das 8h às 16h30 com limite de até 300 visitantes simultâneos por hora
  • Entrada: R$ 10 por pessoa (pagamento é feito no local)

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.