ASSINE

Baião de dois: onde provar o prato nordestino e suas versões

Cremosa, vegana e até com frutos do mar, a receita cantada por Luiz Gonzaga vem conquistando o ES em releituras cheias de sabor

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 16/07/2021 às 17h13
Baião de dois servido no almoço executivo do Coffeetown Praia da Costa
Baião de dois servido no almoço executivo da Coffeetown, na Praia da Costa. Crédito: Pablo Gonçalves

Prato típico do Nordeste e de partes do Norte do Brasil, o baião de dois tem feito enorme sucesso nos cardápios capixabas que o incluem. A receita, de origem cearense, une dois elementos básicos da culinária nacional: o feijão (porém verde ou de corda) e o arroz - quase sempre acrescidos de queijo coalho. 

A canção "Baião de Dois", de Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga, impulsionou a fama do quitute, que hoje é servido em boa parte dos restaurantes de comida brasileira pelo país afora. No Estado, a mistura vem ganhando espaço principalmente nos menus de almoço, com adaptações e releituras cheias de personalidade.

Por aqui, a versão que mais se aproxima da original acompanha a Carne de Sol do Maranhão, refeição para quatro pessoas servida no Coco Bambu, em Vila Velha. "O baião do Ceará leva só arroz e feijão-verde e, em alguns lugares acrescentam o queijo. Aqui usamos feijão-fradinho, porque o verde é difícil de encontrar", explica Fernando Granjeiro, sócio-proprietário do restaurante. 

Além do baião de dois, a peça inteira de carne de sol de filé mignon vai à mesa com farofa de ovos, bananas à milanesa, cebola roxa refogada, vinagrete e purê de mandioca gratinado com queijo coalho (R$ 238).   

Carne de Sol do Maranhão, acompanhada por baião de dois no restaurante Coco Bambu, em Vila Velha
Carne de Sol do Maranhão: baião de dois ao estilo cearense é um acompanhamento. Crédito: Tadeu Brunelli

O Regina Maris, também em Vila Velha, inspira-se na variação mais famosa do baião de dois tradicional, o rubacão, que geralmente contém nata ou leite e fica molhadinho. No Baião de Dois à Moda da Casa, bastante cremoso, vão carne de sol, manteiga de garrafa, feijão-de-corda, arroz e queijo coalho misturados e acomodados em uma panela de barro (R$ 132, para duas pessoas).    

Inaugurado recentemente na Prainha, o Macunaíma Cozinha Brasileira comprova o sucesso do baião de dois não só entre os capixabas. "Foi uma surpresa receber esses dias um grupo de nove nordestinos que vieram atrás do baião. Um deles brincou e pediu 'pra ver se o daqui presta', e todos aprovaram. É curioso também ver que muitos clientes pedem cajuína para acompanhar, e os capixabas que não conheciam o prato têm vindo para experimentar", conta o chef e proprietário, Murilo Góes.        

Baião de dois do restaurante Macunaíma Cozinha Brasileira
Baião de dois do Macunaíma, em Vila Velha: aprovado pelos nordestinos. Crédito: Olivier Schochlin

No restaurante, que abre apenas para almoço, o prato (individual, a partir de R$ 28) é servido aos domingos e contém carne-seca desfiada, bacon, banana-da-terra frita, queijo coalho e feijão-fradinho. "Às vezes coloco o baião no cardápio mais de uma vez por semana, e também faço porções maiores sob encomenda", completa o chef, que também prepara uma opção vegana. 

PRATO EXECUTIVO

Na cafeteria Coffeetown Praia da Costa, o baião também é uma pedida no almoço, como prato executivo (R$ 27, individual). Arroz, feijão-fradinho, carne-seca desfiada, queijo coalho, bacon e linguiça compõem a releitura da casa. 

Em Vitória, o Centro é o destino dos apreciadores do prato. No bistrô A Oca, o cardápio traz quatro versões, no almoço e no jantar, e uma pedida para os veganos é a que contém arroz, feijão-fradinho, ervas, cubinhos de banana-da-terra frita, cenoura, abobrinha, palmito fresco e mix de cogumelos (R$ 36, individual). 

Gonzagão, versão de baião de dois servida no bistrô e ateliê A Oca, no Centro de Vitória
O Gonzagão, d'A Oca, combina ingredientes dos baiões tradicional e vegano. Crédito: Mariana Garcia

Além da Tradicional, que leva queijo coalho, calabresa picadinha, bacon, carne-seca e melaço de cana (R$ 36, individual), entram em cena também o Gonzagão - combinação de ingredientes do vegano e do tradicional (R$ 40, individual) - e o Baião do Mar (R$ 64, individual), com siri, dourado e camarão desfiados, arroz, feijão-fradinho, pimenta e mix de temperos do chef, Fabrício Costa.

Nas noites do Grappino, na Gama Rosa, o Baião D2 serve duas pessoas e é feito com arroz, feijão-fradinho, carne-seca desfiada, calabresa, bacon, queijo coalho e manteiga de garrafa (R$ 66). 

ENDEREÇOS E HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO*:

  • A OCA BISTRÔ & ATELIÊ - Quarta, das 12h às 15h. De quinta a sábado, das 12h às 16h e das 19h às 23h. Domingo, das 12h às 18h. Rua do Rosário, 114, Centro, Vitória. (27) 98825-6714. Delivery: iFood e Shipp. 
  • COCO BAMBU - De segunda a quinta, das 11h30 às 15h e das 17h às 23h. De sexta a domingo, das 11h30 às 23h. Shopping Praia da Costa, Av. Dr. Olivio Lira, 353, Praia da Costa, Vila Velha. (27) 3141-9100. Delivery: (27) 99263-3517, aplicativo próprio e iFood. Clube A Gazeta: 10% de desconto no valor total da conta
  • COFFEETOWN PRAIA DA COSTA - De segunda a quarta, das 10h às 20h30. Quinta e sexta, das 11h às 20h30. Sábado e domingo, das 11h às 20h30. Rua Maranhão, 45, Praia da Costa, Vila Velha. (27) 3535-0012. Delivery: iFood e Shipp. Clube A Gazeta: 15% no valor total da conta.
  • GRAPPINO RANGOBAR - De segunda a sábado, das 18h às 23h. Rua Gama Rosa, 128, Centro, Vitória. (27) 3029-5567. Delivery: iFood e Uber Eats.    
  • MACUNAÍMA COZINHA BRASILEIRA - De quinta a domingo, das 11h às 17h. Av. Luciano das Neves, 134, Sítio Histórico da Prainha, Vila Velha. (27) 99837-7236. Delivery: Shipp. 
  • REGINA MARIS - De domingo a quinta, das 11h à 0h. Sexta e sábado, das 11h à 0h30. Rua Deolindo Perim, 79, Itapuã, Vila Velha. (27) 3299-0897.

*Os horários estão sujeitos a alterações conforme decreto estadual. 

Baião de Dois à Moda da Casa do restaurante Regina Maris, em Vila Velha
Baião de Dois à Moda da Casa do Regina Maris: opção cremosa em Vila Velha. Crédito: Carlos Alberto Silva

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.