ASSINE

União autoriza cessão do Centro Cultural Carmélia ao Governo do ES

Prazo de cessão de uso será de cinco anos, a contar da data da assinatura do contrato, podendo ser prorrogado por sucessivos períodos. Obras devem começar em breve

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 01/10/2021 às 17h04
Centro Cultural Carmélia Maria de Souza vai abrigar os armazéns da Conab no lugar dos galpões do IBC
Centro Cultural Carmélia. Crédito: Vitor Jubini

A novela sobre as indefinições em relação ao futuro do Centro Cultural Carmélia, finalmente, parece estar próxima de um final feliz. Nesta sexta (1), foi publicado em Diário Oficial da União a tão esperada portaria em que o Governo Federal - proprietário do terreno - autoriza a cessão do espaço para o Governo do ES. A formalização do contrato deverá ocorrer nos próximos dias e, em breve, devem começar as primeiras obras de recuperação do tradicional aparelho de Vitória, inaugurado em 1986, por Gérson Camata.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Turismo, a Portaria 11.794, da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, define que o prazo de cessão de uso será de cinco anos, a contar da data da assinatura do contrato, podendo ser prorrogado por sucessivos períodos. 

Em uma parte crucial, a portaria define que "cabe ao Governo do Estado fazer as intervenções necessárias para a restauração do prédio, bem como do Teatro José Carlos de Oliveira, que integra o complexo cultural, devendo o cessionário reformá-lo e equipá-lo para que volte a receber espetáculos, além de possibilitar a sua ocupação em atividades culturais, para atendimento ao público".

"É com muita alegria que recebemos este espaço tão importante para a história e cultura do nosso Estado. Vencidas as etapas burocráticas, iniciamos as intervenções planejadas para o espaço que integra o projeto maior da Administração Estadual, que é a Cidade Administrativa”, destaca a secretária do Estado de Turismo, Lenise Loureiro.

A secretária ressalta ainda que o Carmélia, assim como o Saldanha da Gama, são referências do projeto da Cidade Administrativa. "O território do nosso projeto tem estes dois espaços históricos como referência da abrangência da Cidade Administrativa. São símbolos de uma ação de recuperação e preservação da história não só da Capital como do nosso Estado”, frisa.

URGÊNCIA

Em entrevista exclusiva ao "Divirta-se"publicada em agosto, Lenise adiantou que as primeiras reformas estão na planilha de custos da secretaria. De caráter emergencial, elas devem custar cerca de R$ 700 mil, abrangendo o restauro do telhado (para conter infiltrações), da calçada e da parte externa, incluindo o jardim.

Atualmente, o imóvel é sede da TV Educativa. Futuramente, sob a gestão da Secretaria Estadual de Comunicação, também abrigará a Rádio Espírito Santo, hoje localizada na Reta da Penha, em Vitória. A ideia é transformar o local em uma espécie de centro de comunicação, também abrindo espaço para a cultura.

"Em um segundo momento, o Governo Estadual deseja fazer uma reforma ampla para receber a emissora de rádio. O valor estimado da obra é R$ 5 milhões. O teatro será totalmente reformado e manterá as apresentações culturais. Também desejamos que o espaço seja usado para as transmissões de programas e de lives da TVE e da Rádio Espírito Santo", adiantou na época.

"O bairro (Mário Cypreste) é uma área estratégica. Com a reforma, além de revitalizá-lo, vamos trabalhar o conceito de comunicação atrelado às atividades culturais. Também vamos atender a um pedido do setor da cultura, que lutou tanto para que o Carmélia continuasse aberto como espaço destinado a apresentações artísticas", complementou, na ocasião.

POLÊMICA

O Carmélia foi alvo de uma polêmica, com direito a protestos da classe artística capixaba, após a União anunciar que utilizaria o espaço para o armazenamento de grãos da Conab. Medida seria adotada com o anúncio da venda do atual local de armazenamento, os Galpões do IBC, em Jardim da Penha, Vitória. Recentemente, os galpões foram cedidos ao Ifes/ES.

Ato em defesa do Centro Cultural Carmélia realizado no espaço do local, bairro Mario Cypreste, Vitória-ES.
Ato em defesa do Centro Cultural Carmélia realizado no espaço do local, bairro Mario Cypreste, Vitória-ES. . Crédito: Vitor Jubini

A área ocupada pelo Centro Cultural pertence à Conab e, no passado, abrigou o Instituto Brasileiro do Café (IBC). A parte do teatro estava cedida à Prefeitura de Vitória, mas há quase oito anos não é utilizada. A outra parte está em posse do governo estadual, e abriga a TV Educativa (TVE), que buscava outro espaço com o anúncio da retomada do imóvel. Tanto Estado quanto a Prefeitura de Vitória chegaram a ser notificados pela União a deixarem o imóvel.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.