ASSINE

Romulo Felippe fala de planos após conquista de cadeira na AEL

O escritor e jornalista ocupará a cadeira 9 na Academia Espírito-santense de Letras, que pertenceu ao poeta Sérgio Blank, e pretende ajudar na construção de uma nova geração de leitores

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 18/04/2021 às 08h00
O escritor e jornalista Romulo Felippe
O escritor e jornalista Romulo Felippe . Crédito: Evandro Rabbi/divulgação

A última segunda-feira, dia 12 de abril, foi para o escritor Romulo Felippe um dos momentos mais importantes de sua carreira. Em suas palavras, neste dia viveu um momento de êxtase e jubilo ao receber a notícia de que conquistou a cadeira número 9 da Academia Espírito-santense de Letras (AEL).

"O dia já estava pleno, com o início da realização de um sonho, no litoral de Anchieta, e por ser o Dia da Padroeira do Espírito Santo. E foi fechado na estrada, na companhia da minha esposa, nas palavras do confrade Anaximandro Amorim, que anunciou a minha vitória”, relembra o momento. Felippe concorreu com mais seis autores pela honra de fazer parte da instituição, tendo sido eleito em uma assembleia virtual. 

SONHO REALIZADO

Cachoeirense, o também jornalista ocupará o posto outrora pertencente ao grande expoente da literatura capixaba, Sérgio Blank, que faleceu em 2020. Felippe afirma que a contribuição poética do antecessor é perpétua e demonstra sua admiração: “Tinha uma visão translúcida do cotidiano, enxergava o invisível para todos nós e o transformava em poesia plena, da alma. Uma lacuna se abriu diante sua partida, infelizmente, mas seu escrito está eternizado”.

Vale destacar que a posse do escritor deve ocorrer dentro de 180 dias a partir de sua eleição, de acordo com o estatuto da AEL. Felippe detalha que a ideia é que aconteça em outubro, devido ao momento marcado pela pandemia, para que, talvez, com a devida vacinação, possa ocorrer de forma presencial. “Caso contrário, será virtual, assim como o foi na Assembleia da minha eleição”, declara.

O escritor conta que concorrer à cadeira teve duas motivações: um sonho de infância e adolescência; e a vontade de ser um colaborador no difícil processo de não apenas difundir a paixão literária, mas também ajudar na construção de uma nova geração de leitores. Romulo acredita que as academias literárias são essenciais para esta formação.

Romulo Felippe

Acadêmico da AEL

"Mais do que patrimônios físicos, como a belíssima sede da Academia Espírito-santense de Letras, esses núcleos são guardiões da nossa literatura"

Como novo membro, entre os 40 totais da AEL, que completa 100 anos em setembro de 2021, Romulo enxerga que o seu papel é o de preservar a riqueza de nossa língua mãe e, mais ainda, expandir conhecimento para a população, principalmente para aqueles que necessitam de referências literárias. “Cerca de 30% da população brasileira jamais leu um livro por inteiro. Segundo a pesquisa, isso se deu por falta de quem os incentivasse a ler. Então, eis uma das missões da AEL: instigar, incentivar e estimular a leitura”, reflete.

A respeito dos projetos em que deseja atuar na academia, adianta: "A AEL possui projetos incríveis, como o 1º Concurso Literário Sérgio Blank, voltado para os apenados do sistema carcerário capixaba. Muitos dos confrades e confreiras, antes da pandemia, visitavam escolas para levar aos jovens o amor pelos livros, seja na leitura ou na escrita. Gostaria de atuar dentro desse contexto".

TRAJETÓRIA LITERÁRIA E NOVAS OBRAS

Com paixão declarada pela leitura e escrita, Romulo conta que o gosto vem desde a infância, quando já visitava a Casa dos Braga, morada de Rubem Braga em vida, local em que "devorava" centenas de obras. "Absorvia tudo o que podia: de Guimarães Rosa a Umberto Eco. Mas era o Sabiá da Crônica Brasileira, Rubem Braga, quem mais me cativava. Nascia ali meus primeiros versos e crônicas publicados nos jornais semanais: O Brado, Correio do Sul e O Arauto", rememora.

Foi aos treze anos que adentrou em seu primeiro emprego de meio expediente em uma redação. A partir do jornalismo, ele afirma ter sido um pulo para a literatura. Hoje, Felippe tem tês livros publicados: “Monge Guerreiro”; “O Farol e a Tempestade”; e “Reino dos Morcegos”. Além disso, o escritor tem participação no Volume I de “Entre Monstros e Dragões”, coletânea portuguesa, organizada por R.C. Vicente (confira mais detalhes sobre os livros ao final da matéria).

"Frases curtas, parágrafos pequenos, farta pesquisa e um texto de imersão. Anseio que o leitor viaje pelo enredo, que sinta na pele as dores e amores das minhas obras", assim Romulo define o seu modo de escrita. 

E vem muito mais por aí, neste pouco mais de um ano de pandemia, infectado e reinfectado pela Covid-19, o autor produziu quatro originais inéditos, que serão lançados no decorrer de 2021. Os títulos são o drama de guerra “Pássaros Negros na Neve”, com lançamento em junho, pela Novo Conceito; a jornada pela Terra Santa “Quando Entrevistei Jesus”, que apresenta uma pegada jornalística; o infantil “Universos Incríveis Além do Nosso”; e a fantasia medieval “O Fogo Eterno do Dragão”.

“Atualmente estou finalizando as pesquisas do romance histórico “O Lanceiro Romano”, encomendado pela minha editora italiana, a Newton Compton Editori. Esta é a árdua e prazerosa missão para 2021. Que venha muito mais!”, antecipa, para a alegria dos fãs.

VISÃO SOBRE A LITERATURA CAPIXABA

Para Romulo, o Espírito Santo é um celeiro de talentos, destacando o célebre Rubem Braga e os que julga fenomenais: Francismo Aurélio, Bernadette Lyra, João Gualberto, Neida Lúcia e Anaximandro Amorim. Embora não consiga nominar todos os autores que admira no Estado, enfatiza: “Defendo a tese de que um escritor não possui pátria ou fronteiras que o cerquem, seja capixaba, brasileiro no contexto geral ou inglês, por exemplo. O escritor é uma peça universal. O mundo deveria aprender a ler mais nossos autores, e aos poucos isso está acontecendo”.

Felippe pensa ser preciso difundir melhor as obras locais através de feiras, encontros, palestras e afins. Em entrevista ao Papo de Colunista, na quarta-feira (14), com Beatriz Seixas, Rafael Braz e Leonel Ximenes, o escritor contou mais sobre a sua visão a respeito do mercado de livros no ES e chegou a comentar questões como a taxação de obras e o incentivo à leitura. Confira na íntegra:

MONGE GUERREIRO

Capa do livro
Capa do livro "Monge Guerreiro". Crédito: Editora Cavaleiro Negro
  • Autor: Romulo Felippe
  • Sinopse: Princípio de tarde na península de Veneza... O céu está tingido de rubro e o calor emana das águas do Adriático. Dezenas de milhares de soldados, guarnecidos de armas e armaduras, povoam as ruas estreitas e sinuosas da cidade. Os homens apinham-se entre as ameias das muralhas com os olhos varrendo o horizonte. Arqueiros e lanceiros estão a postos. Pontes, canais e praças tornam-se trincheiras estratégicas, enquanto a população esconde-se em casas, áreas subterrâneas ou busca proteção divina sob as naves centrais dos grandes templos. Todos estão à espera da besta.
  • Valor: R$ 47,90 (capa dura)
  • Local de venda: no site Amazon

O FAROL E A TEMPESTADE

Capa do livro
Capa do livro "O Farol e a Tempestade". Crédito: Editora Novo Conceito
  • Autor: Romulo Felippe
  • Sinopse: Samuel Jones é um autor best-seller que vive recluso em uma remota ilha do Atlântico Norte desde que perdeu a família em um acidente de carro. A partir desse terrível advento, viver passou a ser um martírio, um sacrifício diário. O exílio de Sam, entretanto, ganhará um viés ainda mais dramático quando uma bola de fogo riscar os céus diante de seus olhos no meio de uma tempestade. Em uma obra do acaso, a fotógrafa nova-iorquina Anne Crawford sobrevive ao desastre aéreo e é salva justamente pelo escritor, quebrando a partir daí a solidão da Ilha Farethon e de seu farol secular. Duas almas marcadas por tragédias. Dois corações despedaçados pela vida. Para Sam e Anne há muito mais em jogo do que fé e paixão, perdão e esperanças. Marcados pela ausência de um passado e a impossibilidade de um futuro, resta-lhes viver o presente em sua mais profunda intensidade.
  • Valor: R$ 16,20 (impresso); R$ 14,90 (e-book)
  • Local de venda: no site Amazon 

REINO DOS MORCEGOS

Capa do livro
Capa do livro "Reino dos Morcegos". Crédito: Romulo Fellipe
  • Autor: Romulo Felippe
  • Sinopse: Morcegos estão proibidos de voar para dentro das muralhas de Carcassone, mas cabe a Frederico, um corajoso morcego albino, cumprir a profecia e selar a paz entre homens e morcegos.
  • Valor: R$ 20 (capa dura)
  • Local de venda: no site Amazon 

ENTRE MONSTROS E DRAGÕES

Capa da coletânea
Capa da coletânea "Entre Monstros e Dragões" . Crédito: Chiado Books
  • Sinopse: A Autora R.C. Vicente foi a responsável pela edição e coordenação da recolha dos contos que dão forma a este livro, no qual trinta e um talentos da literatura fantástica se unem como se de um só se tratasse. A colectânea conta com a participação especial de Romulo Felippe. Desde dragões, a sereias, vampiros, goblins, feiticeiros e  elfos, entre muitos outros seres do outro mundo, aspirantes, amadores e profissionais juntam-se para dar voz ao gênero do fantástico numa coletânea onde não se encontram dois contos iguais. 
  • Valor: €17, cerca de R$ 114 (impresso); €5 cerca de R$ 33, 65 (e-book)
  • Local de venda: no site da Chiado Books

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.