ASSINE

Casa da Memória reabre para visitação nesta terça-feira (25)

Entre as atrações do espaço, a exposição "Imaginário", que traz obras de artistas do munícipio, em cartaz até 30 de julho

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 25/05/2021 às 02h02
Reformada, a Casa da Memória, em Vila Velha, reabre nesta terça-feira (25)
Reformada, a Casa da Memória, em Vila Velha, reabre nesta terça-feira (25). Crédito: Adessandro Reis

Espaço que guarda parte da história do Espírito Santo, a Casa da Memória, em Vila Velha, reabre para visitação nesta terça-feira (25), totalmente reformada, em uma obra que durou aproximadamente um ano e custou cerca de R$ 400 mil. Ao todo, o centro histórico estava fechado desde março do ano passado, por conta da pandemia da Covid-19

O local recebeu mudanças estruturais, como troca de telhado, impermeabilização, manutenção de portas e janelas, e troca da rede elétrica. O museu sofria com infiltrações, que vinham provenientes de um telhado mal-feito, além de necessitar de pintura e reparos pontuais em quase todos os ambientes. A arquitetura original, porém, foi preservada. 

De acordo com o secretário de Turismo, Esporte e Cultura do município, Paulo Renato Fonseca Junior, a reestruturação deixou o espaço mais acessível, com a implementação de rampas para cadeirantes, banheiros adaptados e maior espaçamento entre as portas.

"Isso garante que pessoas portadoras de necessidades especiais tenham acesso a todos os espaços, mantendo a ideia de que a cultura deve ser aproveitada por todos os moradores, sendo de Vila Velha ou mesmo de outras partes do Estado e até do país", descreve o gestor.   

O acervo da exposições histórica permanente do local também foi repaginado, com o apoio da Lei Aldir Blanc
O acervo da exposições histórica permanente do local também foi repaginado, com o apoio da Lei Aldir Blanc. Crédito: Adessandro Reis

A Casa da Memória é uma construção de 1893. Ela abriga o acervo do Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha (IHGVV) e sua exposição permanente, com estátuas de personagens históricos, jornais e documentos sobre o sítio histórico da Prainha, bairro canela-verde em que está localizada.

"Com a reforma, nosso foco é continuar fazendo o resgate da história do Espírito Santo. Nesta semana, vamos reabrir não só a Casa da Memória, como a Igreja do Rosário (também localizada na Prainha), sempre respeitando os protocolos de segurança e com restrições do número de acessos por pessoas", adianta Paulo Renato, revelando que, na Casa da Memória, por exemplo, poderão entrar somente dez pessoas de cada vez.   

Ainda na exposição permanente, peças históricas, como réplicas de armas, instrumentos de navegação, painéis ilustrativos, livros, replica da Lei Áurea e da pena que a Princesa Isabel assinou a lei. Aproveitando a reforma estrutural, todas as obras também foram repaginadas, contando com o apoio da Lei Aldir Blanc.

No local, há uma réplica em escala da Caravela Glória, responsável por trazer o primeiro donatário da Capitania do ES, Vasco Fernandes Coutinho; um canhão dos anos 1700; o último exemplar do bonde que circulou na cidade e que, em breve, será completamente restaurado, em obra que deve ser iniciada nos próximos meses. 

"Além da exposição permanente, vamos reabrir com a mostra 'Imaginário', que fica em cartaz até 30 de julho. São quadros que resgatam a memória afetiva de artistas do município, como Kleber Galveas, Romário Batista, Paulo Hernani, Cristina Lopes e Rodolpho Valdetaro. A curadoria é de Celso Adolfo", adianta Manoel Goes, subsecretário Municipal de Cultura.

A mostra
A mostra "Imaginário" fica em cartaz na Casa da Memória até 30 de julho. Crédito: IHGVV

Goes afirma que a crise sanitária impediu que a galeria da Casa da Memória - que foi totalmente reformada, ganhando iluminação profissional -, planejasse um calendário de exposições mais vasto.

"Vivemos na incerteza sobre nossas atividades. Vamos abrir com uma mostra de artistas locais por dois meses. Organizar uma exposição dispende tempo e planejamento, tanto para o espaço como para artistas. Não dá para se comprometer com eles agora. Vamos ver como a pandemia vai se desenrolar nos próximos meses para pensarmos em novas exposições", complementa. 

DOAÇÕES

A Casa da Memória está aceitando doações de documentos ou peças de relevância histórica para aumentar o acervo. Nesta semana, o espaço recebeu 12 moedas e duas botoeiras antigas do jornalista Paulo Borges Filho.

“Se todos tivessem a mesma iniciativa, nós estaríamos com um acervo ainda mais rico à disposição da população”, acredita Lauro Rodrigues, presidente do IHGVV.

Para o subsecretário de Cultura, Manoel Goes, “preservar bens históricos é fundamental para o fortalecimento da identidade canela-verde. Demonstra o interesse em perpetuar a nossa memória. Isso é fundamental para prepararmos as novas gerações, no momento em que estamos caminhando para o quinto centenário da colonização espírito-santense”, pontua.

Os interessados em doar, podem entrar em contato com o Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha, pelo telefone (27) 99981-6098. 

CASA DA MEMÓRIA

  • ONDE FICA: Av. Luciano das Neves, 17 - Prainha, Vila Velha - ES. Telefone: (27) 3388-4344
  • VISITAÇÃO: terça a sexta-feira,  das 10h às 16h, e sábados, domingos e feriados,  das 10h às 16h. Entrada franca

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.