ASSINE

Passageira tem assento em ônibus ocupado por tonéis com sêmen de boi

A confusão se iniciou no embarque, quando os passageiros viram os tonéis sendo levados para os assentos que haviam comprado. A Polícia Militar foi acionada, porém, não conseguiu solucionar o problema

Tonéis de sêmen de boi ocupando assentos de leito
Tonéis de sêmen de boi ocupando assentos de leito. Crédito: Reprodução/Arquivo Pessoal/Mirna Dias

Uma dona de casa embarcou na Rodoviária de Goiânia, na última quarta-feira (27), em um assento diferente do que havia comprado por conta de tonéis de sêmen de boi. A vítima desta situação foi Mirna Dias de Almeida Cruz, de 50 anos. Seu filho, Wedher Valeriano, de 23 anos, denunciou a empresa de ônibus, que alterou os assentos dos passageiros para poltronas comuns. Inicialmente, haviam comprado assentos de leito, porém, os mesmos foram ocupados pelas cargas. As informações são do G1.

DENÚNCIA DA EMPRESA

A denúncia de Wedher foi feita nas redes sociais. Sua mãe embarcava em direção a Palmas, uma viagem que dura aproximadamente 12h, após velar e enterrar o pai. 

De acordo com a Rodoviária de Goiânia, nesses casos, o passageiro pode procurar por órgãos reguladores que têm representantes no terminal. Dessa forma, podem ir à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para viagens interestaduais e à Agência Goiana de Regulação (AGR) para trajetos intermunicipais.

A confusão se iniciou no embarque, quando os passageiros viram os tonéis sendo levados para os assentos que haviam comprado. A Polícia Militar foi acionada, porém, não conseguiu solucionar o problema.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.