ASSINE

Mães menores de 18 anos podem se cadastrar no auxílio emergencial

Auxílio de R$ 600  pago pelo governo tinha sido estendido às adolescentes em maio, mas aplicativo da Caixa só foi atualizado neste sábado

Publicado em 31/05/2020 às 13h05
Atualizado em 31/05/2020 às 13h05
Auxílio emergencial do governo federal
Auxílio emergencial do governo federal . Crédito: Siumara Gonçalves

As mães com menos de 18 anos poderão registrar a solicitação de análise para o benefício do auxílio emergencial de R$ 600 a partir deste sábado (30), segundo a Caixa. A alteração na lei do auxílio permitiu essa nova possibilidade de acesso ao benefício. Poderão fazer o registro da solicitação as mães menores de idade que compõem núcleo familiar com no mínimo dois membros, incluindo a requerente.

O benefício foi ampliado para as adolescentes no dia 14 de maio, mas o aplicativo do banco ainda não havia sido atualizado. O governo fechou um acordo para que a análise do auxílio emergencial de R$ 600 seja feita em até 20 dias corridos.

A funcionalidade já foi disponibilizada no aplicativo da Caixa e também no site auxilio.caixa.gov.br. Após realizar a solicitação, os dados serão enviados para análise pela Dataprev. O pedido de análise está disponível para todos os públicos até o dia 2 de julho de 2020.

As beneficiárias podem acompanhar se o auxílio foi aprovado também pelo aplicativo ou pelo site. Para ter o benefício aprovado, é necessário ainda atender aos demais critérios de elegibilidade estabelecidos pela lei.

INCLUSÃO

A lei original do auxílio emergencial, sancionada no início de abril, determinava que, para se cadastrar no programa, era necessário ser maior de 18 anos. Por isso, as primeiras versões do sistema da Caixa não permitia que menores requeressem o benefício.

O cadastro para as mães adolescentes é o mesmo que para os demais beneficiários. Para ter acesso ao benefício, elas precisam cumprir todas as exigências do programa, como renda familiar de até R$ 3.135.

Para comprovar que são mães, as adolescentes devem preencher no cadastro ao menos dois membros da família — a própria beneficiária e o filho ou filha. Não há impedimento caso a pessoa more com outras pessoas na mesma casa, desde que os critérios de acesso não sejam desrespeitados.

SEGUNDA PARCELA

Neste sábado (30), a Caixa também iniciou o pagamento em espécie para beneficiários do Auxílio Emergencial que receberam a primeira parcela até o dia 30 de abril.

Todos os beneficiários do Bolsa Família beneficiados com o Auxílio Emergencial já receberam a segunda parcela, entre os dias 18 e 29 de maio, de acordo com o número do NIS.

As pessoas cadastradas no app ou no site tiveram o recurso antecipado para uso digital no aplicativo CAIXA Tem. A facilidade continua disponível para os beneficiários utilizarem os recursos digitalmente, sem a necessidade de sair de casa, com comodidade e segurança.

Nas datas indicadas no calendário, eventual saldo existente será transferido automaticamente para a conta em que o beneficiário recebeu a primeira parcela, sendo poupança Caixa ou conta em outro banco.

Com isso, esses beneficiários poderão procurar as instituições financeiras com quem tem relacionamento, caso queiram sacar. São mais de 50 bancos participantes da operação de pagamento do auxílio emergencial.

Caixa Econômica Federal Benefício Emergencial

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.