ASSINE
Taynã Feitosa é sommelière e cervejeira apaixonada por uma boa cerveja e suas infinitas possibilidades. Também é jornalista e mercadóloga

De colarinho a copo sujo, veja os principais erros ao servir cerveja

Você sabia que os polêmicos dois dedos de espuma são fundamentais para preservar a bebida? Saiba mais sobre esse e outros cuidados básicos

Publicado em 09/06/2021 às 02h00
Cerveja/chope retirada da torneira com colarinho
Sua cerveja é com ou sem colarinho? Saiba por que essa espuma é importante . Crédito: Wavebreak Media

Embora seja uma das bebidas mais democráticas que existem, a cerveja não deve ser servida de qualquer jeito. Como sommèliere e cervejeira, garanto que a experiência de consumi-la, seja no copo americano de um simples boteco ou na tap house da moda, pode ser ainda melhor se alguns cuidados básicos forem observados.

Vários dos nossos hábitos de consumo são impostos por marketing, como o de pedir a famosa cerveja "estupidamente gelada", próximo de 0ºC ou abaixo disso. Diante de temperaturas tão baixas, nossas papilas gustativas se fecham, o que nos impossibilita de sentir por completo o sabor da bebida.

Outros cuidados podem até ser vistos com descaso, mas são de extrema importância para que você aproveite da melhor forma o momento de beber sua cervejinha. Aqui estão alguns pontos que devem ser levados em consideração no serviço, em qualquer ocasião: 

DOIS DEDOS DE COLARINHO 

Atire o primeiro copo quem nunca viu alguém reclamar de uma caneca de chope com muita espuma. "Tá roubando cerveja!", costumam dizer. Mas saiba que essa espuma, conhecida popularmente como colarinho, é imprescindível para manter a temperatura e reter no copo os aromas e os sabores da cerveja.

Então, quando a pessoa que lhe serve a bebida se preocupa em manter o colarinho, a intenção é esta: preservar sua bebida na temperatura ideal para consumo e com todas as suas características sensoriais por mais tempo.

COPO CONGELADO E "CANELA DE PEDREIRO"

Por falar em temperatura, basta uma ronda nos bares para perceber uma certa idolatria às garrafas de cerveja no estilo "canela de pedreiro" ou "bunda de foca" (aquelas com uma fina camada de gelo sobre o vidro). Esse pré-congelamento também é feito frequentemente em copos, canecas e taças, mas é considerado um erro de serviço.

Cervejas servidas a 0ºC ou temperaturas inferiores não serão degustadas de forma plena, devido ao adormecimento das papilas gustativas. O que vale aqui é seguir a temperatura ideal de serviço de acordo com o estilo da cerveja, informação que geralmente vem no rótulo.

COPO SUJO 

Às vezes, quando servimos a cerveja surgem muitas bolhas nas paredes do copo, da caneca ou da taça. Nesse caso, as bolhas não significam que a cerveja está bem carbonatada e são um sinal de que o copo está sujo ou mal lavado.

Higiene à parte, essa sujeira pode arruinar sua experiência pois atrapalha a carbonatação da bebida e a retenção da espuma, principalmente se os resíduos no vidro forem gordurosos.

FORMATO DO COPO

O formato do copo também ajuda a aprimorar a experiência, pois esses utensílios são feitos para manter e evidenciar as características sensoriais da bebida. Cada formato é criado de acordo com as peculiaridades de um estilo ou mesmo de uma determinada cerveja, e suas formas interferem na formação de espuma e na liberação de aromas.

Pokal, caldereta, pint e ale são modelos de copo mais versáteis, nos quais vale a pena investir.

Clique aqui para ler as colunas anteriores e acompanhe a colunista também no Instagram.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

Gastronomia Fique bem Cerveja opinião

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.