Calor no ES se aproxima de temperatura recorde de 51 anos atrás

Maior temperatura absoluta registrada pelo Inmet no Espírito Santo é de 42,5°C no município de Cachoeiro de Itapemirim, em 1969; neste ano, a máxima no Estado registrada neste ano foi de 41,5°C, em Alegre

Publicado em 06/10/2020 às 18h13
Atualizado em 06/10/2020 às 20h40
Mesmo diante da pandemia, as praias da Grande Vitória ficaram lotadas neste domingo, 27
Temperatura máxima do ano no Estado foi de 41,5º, no último dia 3. Crédito: Fernando Madeira

A onda de calor que afeta todo o Brasil desde o final do mês de setembro também causa reflexos no Espírito Santo e pode bater um recorde que já dura 51 anos. No dia 9 de janeiro de 1969, o Estado registrou a temperatura de 42,5ºC em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, que até hoje é o maior valor já registrado no Espírito Santo, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

No último dia 3, porém, segundo o Inmet, o Estado registrou a maior temperatura do ano, que ficou próxima ao maior valor da história. Em Alegre, também na região Sul, os termômetros marcaram 41,5ºC. No mesmo dia, o Espírito Santo teve a segunda maior temperatura do ano: 38,4ºC em Muniz Freire, região Serrana.

Em Vitória, a maior temperatura já observada foi de 39,6°C, em 25 de fevereiro de 2005, no bairro Ilha de Santa Maria. O Inmet informou ainda que, neste ano, a maior temperatura registrada na Capital foi de 37,3º, no mesmo bairro.

PREVISÃO DE RECORDE NO BRASIL

O portal Climatempo divulgou nesta terça-feira (6) que o Brasil pode registrar um recorde absoluto de calor nesta semana. De acordo com o site, a onda de calor que acometeu o país desde o final de setembro estabeleceu novos recordes em vários estados, mas poderá evoluir para uma nova máxima da temperatura nacional.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que a temperatura máxima já registrada no Brasil é de 44,7º, em Bom Jesus do Piauí, no dia 21 de novembro de 2005. Nessa segunda-feira (5), porém, os termômetros indicaram uma temperatura de 44,6º em Águas Claras, no Mato Grosso do Sul, e em Nova Maringá, no Mato Grosso.

Essa foi a segunda maior temperatura registrada no país, empatando com Orleans, em Santa Catarina que, no dia 6 de janeiro de 1963, também atingiu 44,6º. O portal Climatempo ressaltou que a onda de calor do início da primavera deste ano está "refazendo a climatologia de temperatura em parte do Brasil" e que recordes da onda de calor de 2014 já foram batidos.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.