ASSINE

Secretária disse que era 'inadmissível' Amazonas não adotar cloroquina

Senador Rena Calheiros leu trecho de um ofício encaminhado ao Amazonas no qual estimulava a gestão municipal a usar as drogas orientadas pelo Ministério da Saúde

Publicado em 25/05/2021 às 12h50
Secretaria Mayara Piun
Secretaria Mayara Pinheiros defende uso da cloroquina. Crédito: TV Senado/Youtube/Reprodução

BRASÍLIA- A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação, Mayra Pinheiro, afirmou à CPI da Covid que o Ministério da Saúde elaborou orientação para uso de medicamentos, entre esses a cloroquina, para o tratamento da Covid-19.

Mayra também confirmou ter informado à Secretaria de Saúde do Amazonas que era "inadmissível" não adotar a orientação da pasta.

A secretária foi questionada sobre o tema pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL). O senador leu trecho de um ofício encaminhado ao Amazonas no qual estimulava a gestão municipal a usar as drogas orientadas pelo Ministério da Saúde.

"Aproveitamos a oportunidade para ressaltar a comprovação científica sobre o papel das medicações antivirais orientadas pelo Ministério da Saúde tornando dessa forma inadmissível diante da gravidade da situação de saúde em Manaus a não adoção da referida orientação", diz trecho do documento lido por Renan.

Mayra ainda afirmou à CPI que a diretriz do ministério não valia apenas para os médicos amazonenses.

"A orientação para tratamento precoce é para todos os médicos brasileiros, não só para Manaus", disse a secretária.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.