ASSINE

Bolsonaro diz a apoiadores que é preciso 'ter calma' para reabrir escolas

Presidente disse que tentou reabrir escolas militares, mas que a reação de pais foi negativa

Publicado em 21/05/2020 às 20h28
Atualizado em 21/05/2020 às 20h29
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do líder do governo na Câmara, deputado Victor Hugo
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do líder do governo na Câmara, deputado Victor Hugo, durante videoconferência nesta quinta-feira (21). Crédito: Isac Nobrega/PR

Defensor de um isolamento social mais flexível diante da pandemia de Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (21) que é preciso ter calma para reabrir escolas.

Ao chegar ao Palácio da Alvorada no fim da tarde, Bolsonaro não falou com a imprensa, mas conversou com apoiadores. Um menino de 11 anos, que estuda em uma escola particular, pediu ao presidente que as escolas fossem reabertas.

Jair Bolsonaro disse que chegou a conversar com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), sobre a reabertura das escolas militares —responsabilidade da União— e das cívico-militares e da Polícia Militar, o que cabe ao governador e relatou que a reação dos pais dos alunos não foi positiva.

Jair Bolsonaro

Presidente da República

"Tem pai que acha que o filho vai para a escola e vai ter problema sério. Então, tem que ter calma"

"A população tem que ir entendendo aos poucos o que é este vírus, que ele realmente é muito perigoso para quem tem certa idade, para quem tem alguma doença. Para a juventude não tem este perigo todo. Estamos analisando aí... Os pais [têm que] afastar aquela ideia de pavor que tinha no tocante ao vírus para a gente poder abrir", afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que as academias de Exército, Marinha e Aeronáutica não fecharam e que está "acelerando" o retorno das aulas da academia da Polícia Federal.

"Hoje conversei com o prefeito Crivella sobre as questões que são de competência dele, não são minhas, no Rio de Janeiro. Foi uma conversa muito boa. Acho que a gente está na iminência de abrir, com responsabilidade, é lógico, o comércio para que a miséria não faça valer no Brasil. Porque a pessoa desempregada não tem saúde, quem não tem saúde....", afirmou Bolsonaro aos apoiadores.​

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.