ASSINE

De família de policiais, Raffaella se mudou para o ES para ser delegada

A mineira Raffaella Almeida Aguiar teve exemplos dentro de casa sobre como é a vida de um policial. Hoje, ela comanda a Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), sendo a primeira mulher a ocupar o cargo

Vitória
Publicado em 09/03/2021 às 14h15
Arte para especial Três mulheres, três escolhas
Raffaella Almeida Aguiar, delegada titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher . Crédito: Carlos Alberto Silva

“Meu pai, minha mãe e meu irmão são policiais”. Depois de ouvir essas palavras, fica fácil entender porque o objetivo de Raffaella Almeida Aguiar, de 37 anos, sempre foi o de ser delegada de polícia. E ela conseguiu.

Raffaella cursou Direto em Juíz de Fora, cidade de Minas Gerais. Assim que soube do concurso para delegado de Polícia Civil no Espírito Santo, a mineira fez a mudança para ficar mais próxima do seu sonho.

Depois de quase sete anos de experiência como delegada, a jovem que um dia sonhou ser policial se tornou a chefe titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), sendo a primeira mulher a ocupar o cargo.  

Confira na entrevista mais sobre o dia a dia de Raffaella e os desafios da profissão que ela escolheu. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.