ASSINE

Pílula anticoncepcional pode causar trombose? Entenda essa relação

Na semana passada, adolescente de Vitória foi parar no hospital após tomar medicamento. Médicos explicam quais os fatores de risco

Publicado em 06/12/2019 às 19h08
Pílula anticoncepcional . Crédito: Arquivo
Pílula anticoncepcional . Crédito: Arquivo

A pílula anticoncepcional é um método preventivo antigo, mas, como todo medicamento, traz alguns efeitos colaterais. E um dos mais conhecidos é o risco de trombose, um problema grave que pode até levar à morte. Na semana passada, em Vitória, uma adolescente de 16 anos foi parar no hospital após uma trombose abdominal em decorrência do uso prolongado de anticoncepcional oral.

Apesar da gravidade do caso, a jovem saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e já está em casa. Mas, provavelmente, não poderá mais fazer o uso do mesmo tipo de anticoncepcional.

De acordo com o cirurgião vascular Brenno Seabra, os hormônios das pílulas anticoncepcionais interferem na circulação sanguínea. "O estrogênio é o grande vilão dessa história, porque ele aumenta a viscosidade do sangue, o que pode causar a trombose". A trombose, diz, é quando ocorre um coágulo sanguíneo dentro da veia, que fica entupida.

"Esse coágulo pode se soltar, cair na corrente sanguínea e ir parar no pulmão, causando embolia pulmonar. Dependendo do tamanho desse coágulo, pode matar a pessoa", ressalta ele.

Seabra afirma que os casos de trombose relacionados ao uso de anticoncepcional são mais frequentes do que as pessoas pensam. "Há certos fatores de risco que favorecem a trombose, como a obesidade, o cigarro, o histórico familiar...".

Fatores de risco

A ginecologista e obstetra Lorena Baldotto afirma que quando há fatores de risco, o uso de pílulas à base de estrogênio pode de contraindicado. "Se a paciente tiver histórico de trombose, lúpus, insuficiência renal, hepática ou se ela fuma, ela tem contraindicações formais ao uso de anticoncepcionais com estrogênio".

Segundo a médica, há outros métodos contraceptivos que podem ser indicados. "Todos os casos devem ser individualizados. O que pode ser feito com o menor impacto hormonal é o DIU (dispositivo intrauterino) de cobre. O uso do progestagênio puro também tem alguns efeitos, mas em alguns casos pode ser usado como alternativa. Lembrando a importância do uso do anticoncepcional com o devido acompanhamento médico".

Lorena lembra que pessoas que vão passar por cirurgias ou vão ficar mobilizadas por um tempo prolongado também têm mais chance de trombose. "E o uso de anticoncepcionais pode também contribuir para aumentar ainda mais o risco de trombose nesses casos".

Brenno Seabra ressalta que, mais importante que esse alerta, é ficar atento aos sintomas. "Se a pessoa começar a sentir uma dor aguda, súbita, nas pernas, acompanhada de inchaço, endurecimento e vermelhidão, deve procurar um especialista ou um Pronto-Socorro imediatamente. Não pode esperar por uma consulta", aponta ele.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.