Instagaleria: artistas aproveitam a rede para expor suas obras

O feed do Instagram virou uma vitrine! E artistas usam e abusam do aplicativo para mostrar seu talento e vender seus trabalhos

Vitória
Publicado em 27/01/2021 às 02h00
Atualizado em 27/01/2021 às 02h01
Artes divulgadas no Instagram
Sejam manuais ou feitas em formato digital, as artes estão online. Crédito: Divulgação / @anaventurim e @jessimaria_o

Não só de looks do dia, fotos de comida e vídeos de pet vive o Instagram. Muita gente expõe os trabalhos por lá. Afinal, é uma oportunidade e tanto de ver e ser visto. A rede social virou, na verdade,  uma grande vitrine vista por mais de 800 milhões de usuários pelo mundo. Algo que exige pouco investimento e acaba virando uma das principais plataforma de exposição de produtos e serviços de várias marcas, empreendedores e também artistas.

No caso das artes, o feed acaba virando uma verdadeira galeria, uma vitrine das produções. E a via é de mão dupla, quem não gosta de receber arte ao rolar a timeline, não é mesmo?

Jessica Maria de Oliveira (@jema_ilustra) é artista visual e também uma das pessoas que aproveitou a praticidade da rede para expor suas produções. Ela conta que sempre gostou de desenhar e pintar, mas que passou a se dedicar à arte digital - que compartilha na rede - este ano. “Entrei no curso de Artes Visuais na UFES, onde estudei por alguns períodos. Deixei a universidade para dar aulas de inglês aos 20 anos e só voltei a produzir arte (dessa vez de forma digital) quando entrei no curso de multimídia no Vasco Coutinho no início de 2020”, explica.

“O curso me introduziu na arte digital e me mostrou possibilidades mais acessíveis de trabalhar com arte. Dessa forma, passei a divulgar minhas produções no Instagram em agosto deste ano, e desde então trabalho com encomendas de arte digital”, acrescenta.

Jessica Maria de Oliveira

Artista Visual

"Recebi seguidores de várias partes do Brasil e muitos dizem que se identificam e que se acalmam vendo minhas obras, o que me deixa imensamente feliz"

Para Jéssica, usar o Instagram como “vitrine” caiu como uma luva e, desde que começou a divulgar as artes, tem recebido muito carinho do público - e muitas oportunidades também. “Recebi seguidores de várias partes do Brasil e muitos dizem que se identificam e que se acalmam vendo minhas obras, o que me deixa imensamente feliz e animada para seguir divulgando e  experimentando novas possibilidades de trabalhar na área”, comemora ela.

Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira

Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Xote". Divulgação / @jessimaria_o
Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Samba". Divulgação / @jessimaria_o
Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Pescador". Divulgação / @jessimaria_o
Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Brinco". Divulgação / @jessimaria_o
Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Favela". Divulgação / @jessimaria_o
Artes digitais por Jéssica Maria de Oliveira
Obra "Chuva". Divulgação / @jessimaria_o
Obra
Obra
Obra
Obra
Obra
Obra

Crochê e telas

Artes em crochê e pintura em tela feitas por Lorena Cratz / @artesdacratz
Artes em crochê e pintura em tela feitas por Lorena Cratz / @artesdacratz. Crédito: Divulgação / @artesdacratz

Lorena Cratz é contadora e artista em @artesdacratz há dois anos, onde se garante nas telas e no crochê. Sua história com a arte vem de uma identificação desde o tempo de escola, não só pelas boas notas em “educação artística”, mas por descobrir a importância da arte em sua vida. ”Eu estava passando por um momento delicado, superdesmotivada, com crises de ansiedade e outros problemas. E acompanhando os trabalhos do Caio Cruz, vi que ele ministrava cursos, então decidi investir neste sonho, primeiro como uma forma terapêutica de desconexão, que aos poucos foi tomando forma e agradando aos olhos de quem aprecia”.

A ideia de expor o trabalho na internet aconteceu de forma orgânica, ela começou publicando suas primeiras telas, que foram desenhos de seus pets, os gatinhos Fubá e Kadu. “Depois pintei a “Nina”, cadela de uma amiga, e o “Ronan” gato de uma amiga. Foi emocionante, pois poder eternizar seu filhote em um lindo quadro, e sentir a alegria na entrega da tela, sem dúvidas, é gratificante”, acrescenta.

Ela define a reação de quem a acompanha como “legal e motivadora” e revela que, antes de levar a arte para o feed, muitos amigos desconheciam este lado dela e ficaram surpresos, além de se tornarem clientes também. “A cada curtida ou elogio recebido, agradeço e me motiva ainda mais a estudar, aprender novas técnicas e aceitar novos desafios”, completa.

Pinturas sobre telas

Romilda Patêz, artista capixaba em seu atelier
Romilda Patêz, artista capixaba, em seu atelier de pinturas e oficinas. Crédito: Acervo pessoal

A artista Romilda Patez (@romildapatez) é graduada e Mestre em Artes pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), onde também foi professora por 3 anos. Ela usa o atelier que tem há cerca de 16 anos para trabalhar principalmente com pinturas e, ocasionalmente, oferece oficinas de aquarela.

Desde quando começou a expor seu trabalho no insta, o alcance aumentou de forma natural. “Deixei o meu Instagram com um foco mais profissional e as pessoas foram chegando, começaram a me procurar interessadas em conhecer o atelier para ver a minha pintura de perto. Aconteceu dessa forma, e hoje vejo o quanto essa ferramenta ajudou o meu trabalho a ganhar mais visibilidade, tanto aqui, como em outros estados”, comemora a artista.

Apesar da receptividade muito positiva, Romilda conta que gostaria de interagir mais com o público da rede. “Planejo em 2021 vencer a timidez e aparecer mais mostrando os bastidores da minha arte”, revela.

Incentivo da família

Leonardo Moreira, também conhecido como Leon, é ilustrador e animador em @AM_Leon. Seu primeiro trabalho como ilustrador freelancer aconteceu há 6 anos, quando decidiu tornar a produção artística seu trabalho principal. “Antes disso, eu considerava meu hobby predileto, já que desde muito novo sempre me encontrava rabiscando algo no papel ou brincando com tintas em algumas telas que tinha em casa”, lembra ele.

"Na internet, comecei publicando por diversão em grupos de redes sociais que usava na época, o que me gerou uma boa evolução na área por estar em contato direto com ilustradores mais experientes. Mas isso só aconteceu por incentivo de familiares, que me incentivavam sempre a publicar minhas ilustrações. Logo percebi que não era o “bicho de sete cabeças” ao qual eu temia, e sim uma nova forma de aprender”, conta ele sobre a decisão de apostar nas redes como vitrine.

O artista fidelizou um público no ambiente digital, o que considera uma motivação para continuar expondo os trabalhos por lá. “A recepção é muito boa, hoje o público que acompanha meu trabalho são os que simpatizam pelas pautas e ideias que tenho, por mais doidas que sejam, sempre sei que terei apoio”, brinca Leon

Artes digitais feitas por @am_leon

Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon. Divulgação @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon
Arte digital por @am_leon

Traços da Ana

Ana Laura Venturim (@anaventurim) atua no ramo há pouco tempo, mas sua relação com a arte é longa. “Sempre gostei de desenhar e de tudo o que envolvia desenho, animações. Eu gosto de ter esse olhar para o desenho como arte. Sempre me chamou atenção e sempre estive rabiscando”, conta.

“Sempre que estava muito estressada, eu começava a desenhar e, independente de quanta coisa passasse pela minha cabeça, desenhando a minha mente parecia mais limpa”, complementa.

Ana Laura Venturim

Artista e Estudante

"As pessoas estão dando mais valor a artistas de perto, inclusive iniciantes"

No ano passado, Ana Laura começou a procurar pela área do desenho com a qual se identificava mais e se encontrou na aquarela. “Foi o que eu mais gostei, de poder unir o traço e a aquarela, isso passa um ar mais delicado pra obra”, pontua ela.

A ideia de expor as artes no Instagram aconteceu de forma orgânica. Ainda nos primeiros pedidos feitos por conhecidos, ela passou a compartilhar as obras no Instagram e deu um nome ao trabalho: Traços da Ana. “Eu uni o útil ao agradável, obter uma renda com algo que eu gosto de fazer. O número de pessoas que valorizam ter uma obra em casa aumentou, as pessoas estão dando mais valor a artistas de perto, inclusive iniciantes como eu”, comemora a artista.

Arte em aquarela por Ana Laura Venturim
Arte em aquarela por Ana Laura Venturim. Crédito: Arquivo pessoal / @anaventurim

Nem tudo são flores

Apesar da praticidade, usar as redes sociais como vitrine também tem alguns desafios em relação à frequência e à recepção do trabalho por parte do público. “Grandes artistas, como Michelângelo, trabalhavam vários anos em uma única obra. Hoje, você precisa ter um post diferente todo dia”, diz ela.

“Além disso, na internet, todo mundo acha lindo, elogia, mas ainda existem algumas barreiras quando colocamos valor sobre o nosso trabalho. As pessoas têm a sensação de que qualquer um poderia fazer e, às vezes, não valorizam a ideia. A originalidade é o que torna aquilo especial, tem uma característica do artista”, complementa.

Instagram Redes Sociais Comportamento Arte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.