ASSINE

Sorteio define o Japão como adversário da seleção masculina de vôlei

O time da casa será o rival na primeira partida eliminatória desta trajetória olímpica do Brasil em quadra; jogo será na madrugada de terça-feira (3)

Publicado em 01/08/2021 às 16h13
Brasil vence Tunísia na estreia do vôlei de quadra masculino
Seleção brasileira masculina de vôlei vai disputar vaga na seminal com os donos da casa. Crédito: Gaspar Nobrega/ COB

A seleção brasileira masculina de vôlei já conhece o seu adversário das quartas de final dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Em sorteio realizado neste domingo (1º), ficou definido que o Japão será o rival na primeira partida eliminatória desta trajetória olímpica. A equipe dirigida pelo técnico Renan Dal Zotto terá na madrugada desta terça-feira, à 1 hora (de Brasília), este primeiro duelo decisivo.

O Brasil chega com quatro vitórias - sobre Tunísia, Argentina, Estados Unidos e França - e uma derrota - para o Comitê Olímpico da Rússia - na fase de grupos. Agora, segundo o treinador, toda a atenção está voltada para os japoneses. E o comandante faz questão de destacar a qualidade dos adversários.

"O Japão é uma seleção extremamente técnica, que não dá ponto de graça para o time adversário porque quase não erra e de um volume de jogo muito grande. É uma partida onde precisamos ter bastante paciência porque dificilmente se derruba a bola logo no primeiro lance, além de, normalmente, ser um confronto mais longo", disse Renan Dal Zotto.

O técnico tem pouco tempo para deixar o time pronto para este duelo. "Temos que estar muito bem preparados porque quartas de final sempre é uma fase difícil, jogo único e em torno disso tem uma tensão muito grande. Vamos estudar muito e treinar em função da equipe japonesa", afirmou.

O Japão chega para a fase decisiva do campeonato com a campanha de três vitórias - sobre Venezuela, Canadá e Irã - e duas derrotas - para Itália e Polônia.

O Brasil busca a sua quinta final olímpica consecutiva. Em Atenas-2004, o Brasil foi ouro; em Pequim-2008 e Londres-2012, a seleção masculina ficou com a medalha de prata; e no Rio-2016 o grupo brasileiro subiu ao degrau mais alto do pódio.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.