ASSINE

Em comício, Biden diz que opositores estão descobrindo agora que "poder vem do povo"

Joe Biden não mencionou diretamente os esforços de Donald Trump para anular os resultados das eleições de novembro

Publicado em 05/01/2021 às 11h38
Joe Biden participou de um comício em Atlanta, Georgia
Joe Biden participou de um comício em Atlanta, Georgia. Crédito: Reuters/Folhapress

Na segunda-feira (4), na véspera das eleições na Geórgia que vão definir qual partido terá o controle do Senado americano, o presidente eleito Joe Biden participou de um comício em Atlanta, capital do estado, para apoiar a candidatura dos dois nomes democratas que estão na corrida eleitoral.

"Geórgia, toda a nação está olhando para você. Um estado pode traçar o curso não apenas para os próximos quatro anos, mas para a próxima geração", disse Biden no evento realizado em formato drive-in.

No pleito desta terça (5), os senadores republicanos Kelly Loeffler e David Perdue enfrentam respectivamente os democratas Raphael Warnock e Jon Ossof. Caso os democratas vençam as duas disputas, a Casa passará a ter 50 senadores do partido (contando os independentes alinhados à sigla) e 50 republicanos.

Neste caso, o voto de minerva será da vice-presidente eleita, a democrata Kamala Harris.

Biden não mencionou diretamente os esforços de Donald Trump para anular os resultados das eleições de novembro, que culminou com a pressão do atual presidente, neste fim de semana, sobre o secretário de Estado da Geórgia para "encontrar" votos suficientes para reverter sua derrota no estado, mas se concentrou no que os democratas poderiam realizar com o controle do Senado.

"Vocês têm dois senadores que acham que não trabalham para vocês. Eles trabalham para Trump. Vocês têm dois senadores que são fiéis ao Trump, e não à Geórgia. Vocês têm dois senadores que fizeram um juramento a Trump, não à Constituição dos Estados Unidos."

Sobre o episódio mais recente de Trump, o democrata afirmou que seus opositores estão descobrindo agora que "o poder vem do povo". "Essa é a nossa história, é a nossa lei, é a nossa tradição, é a nossa Constituição", continuou.

Tamanha a importância deste segundo turno -que ocorre porque nenhum candidato ao Senado pela Geórgia alcançou os 50% dos votos necessários durante as eleições de 3 de novembro-, o presidente Trump também fará um comício em Dalton, cidade do estado sulista, mais tarde na segunda.

Biden derrotou Trump na Geórgia ao receber 2.473.633 votos, equivalentes a 49,5% do total. O republicano ficou com 2.461.854 (49,3%), marcando uma diferença de exatos 11.779 votos.

Nas últimas semanas, Trump também fez publicações sobre o pleito na Geórgia, só que para denunciar supostas fraudes em massa que, segundo ele, roubaram sua vitória neste estado tradicionalmente republicano -ele não apresentou provas que sustentassem as acusações.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.