ASSINE

China promete novas medidas para sustentar economia

O Banco do Povo da China disse que, até o fim do ano, dará maior ênfase à manutenção do crescimento econômico e dos empregos

Publicado em 11/05/2020 às 07h31
Atualizado em 11/05/2020 às 07h31
Efeito do coronavírus na economia mundial
Efeito do coronavírus na economia mundial. Crédito: Divulgação

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) vai lançar novas medidas para sustentar a economia doméstica, que foi gravemente atingida pelo surto do novo coronavírus, e manter sua política monetária flexível, de modo a afastar riscos.

O PBoC disse no domingo (10) que, até o fim do ano, dará maior ênfase à manutenção do crescimento econômico e dos empregos e, ao mesmo tempo, a esforços para eliminação da pobreza.

Em relatório de política monetária referente ao primeiro trimestre, o BC chinês afirmou que irá manter sua política flexível e a liquidez, em níveis razoáveis. Ao contrário do que fez no documento anterior, o PBoC não se mostrou contrário a inundar a economia com excesso de crédito.

Este vídeo pode te interessar

O PBoC também descreveu como "inéditos" os desafios trazidos pela pandemia de coronavírus, num momento em que a economia global entrou em "trajetória recessiva", mas afirmou que a China é capaz de controlar os riscos.

O BC chinês reiterou ainda que seguirá adiante com sua reforma das taxas de juros, de maneira a reduzir os custos de financiamento para a economia real, principalmente pequenas empresas. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.