ASSINE

China anuncia pela 1ª vez que população do país deve diminuir a partir de 2025

País mais populoso do mundo enfrenta crise demográfica devido envelhecimento da população e diminuição da taxa de fertilidade

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 02/08/2022 às 16h20

Após apresentar a menor taxa de crescimento populacional desde a década de 1950, a China anunciou nesta segunda-feira (1º) que sua população começará a diminuir a partir de 2025. O anúncio é inédito no país, segundo informações do jornal estatal Global Times.

Bandeira da China
China: população do país deve diminuir a partir de 2025. Crédito: Pixabay

Hoje o país mais populoso do mundo, com cerca de 1,4 bilhão de habitantes, de acordo com projeções atualizadas da ONU, a nação asiática enfrenta uma crise demográfica diante do rápido envelhecimento da população e da diminuição da taxa de fertilidade.

O número de filhos por famílias ficou abaixo de 1,3 nos últimos anos, informou a Comissão Nacional de Saúde em texto publicado na Qiushi, revista ligada ao Partido Comunista Chinês. Pequim flexibilizou em 2016 a rígida política do filho único e, no ano passado, autorizou que cada casal tivesse até três filhos, mas as medidas não surtiram efeito.

O país deve entrar em uma fase de envelhecimento populacional grave a partir de 2035, quando espera-se que pessoas com mais de 60 anos correspondam a mais de 30% da população nacional. De acordo com o relatório, o tamanho médio das famílias chinesas diminuiu para cerca de 2,6 pessoas em 2020, quase 0,5 a menos do que uma década antes.

"No passado, focamos o controle populacional, mas agora devemos nos concentrar em estabelecer níveis adequados de fertilidade, melhorar a qualidade de vida e otimizar a distribuição populacional, promovendo um desenvolvimento balanceado a longo prazo", destacou o relatório.

O país tem introduzido políticas de apoio financeiro para famílias com mais de um filho. A cidade de Nanchan, capital da província de Jiangxi, na porção leste do país, anunciou no último sábado (30), segundo o Global Times, que famílias com dois ou três filhos menores de 18 anos receberão subsídio que varia de 300 a 500 yuans (R$ 230 a R$ 384).

Recente relatório publicado pela ONU com projeções da população global sugere que a população chinesa já está em decréscimo. O material calcula que o país tivesse 1.425.838.000 habitantes no ano passado. Este ano, seriam 1.425.887.000 - queda de 6.000.

De acordo com os dados, a taxa de crescimento da população chinesa já teria atingido zero no ano passado. Para a média global, por sua vez, a projeção é de que a população pare de crescer somente em 2086. No caso do Brasil, o pico populacional deve ser atingido em 2046 e, a partir de então, a população nacional entraria em decréscimo.

O mesmo material mostrou que a Índia deverá ultrapassar a China como país mais populoso do mundo em 2023 - quatro anos antes do previsto anteriormente, no relatório que foi lançado pré-pandemia.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
China Mundo

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.