ASSINE

Kawasaki ZX-10R ganha design mais aerodinâmico e conectividade

Consagrada nas pistas, linha 2022 chega ao Brasil incorporando um ar ainda mais esportivo com mecânica avançada e totalmente voltada à competição

Publicado em 02/06/2021 às 18h03
Kawasaki Ninja ZX-10R
O sistema, frequentemente visto em modelos de competição, tem circuito independente com refrigeração mais eficiente, contribuindo para um ganho de desempenho do motor em todas as rotações. Crédito: Divulgação

A Ninja ZX-10R está de volta e chega ao Brasil na mais recente versão com melhorias mecânicas, tecnologias aprimoradas e  visual inovador. Liderando a linha 2022 da Kawasaki, a superesportiva da marca japonesa promete seduzir os amantes da velocidade. A Ninja ZX-10R 2022 chegará na rede de concessionárias da Kawasaki a partir da segunda quinzena de junho, em dois modelos de cores: a preta terá preço especial de lançamento de R$ 97.990, enquanto a versão Kawasaki Racing Team (KRT) sairá por R$ 99.990, com o frete para todo o país incluso.

Com sete títulos no Mundial de SuperBike e imbatível no principal campeonato de “motos de fábrica” desde 2015 – sob o comando do piloto norte-irlandês Jonathan Rea –, o modelo ganhou inovações advindas diretamente das pistas pela Kawasaki Racing Team. 

Na linha 2022, a Ninja ZX-10R incorporou um ar ainda mais esportivo, com sua nova aerodinâmica totalmente voltada à competição. Recebeu importantes revisões em seu poderoso motor quadricilíndrico de 998 cm³, com a introdução de aletas integradas e atualizações nas suspensões. O motor ganhou ainda mais desempenho e tornou as emissões mais limpas em comparação a seu antecessor. Com revisões no catalisador e no tubo coletor do escapamento, o novo sistema de exaustão se adequou aos padrões do sistema Euro 5, sem perder potência.

Mas a principal mudança na motorização da Ninja ZX-10R 2022 ficou a cargo do novo radiador de óleo refrigerado a ar, implantado com base no trabalho da Kawasaki Racing Team no Mundial de SuperBike. O sistema, frequentemente visto em modelos de competição, tem circuito independente com refrigeração mais eficiente, contribuindo para um ganho de desempenho do motor em todas as rotações.

NOVO ACELERADOR ELETRÔNICO

Kawasaki Ninja ZX-10R
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções. . Crédito: Divulgação

O lançamento da Kawasaki trouxe também outras mudanças, como o novo acelerador, agora, eletrônico, tipo “fly-by-wire”, eliminando a necessidade de cabos e reduzindo as manutenções. Com uma roda dentada traseira maior, tornou as mudanças de primeira, segunda e terceira marchas significativamente mais próximas, com forte aceleração em média e baixa rotações, ideal para saídas de curvas mais rápidas.

A nova Ninja ZX-10R ganhou ainda atualizações na geometria do chassi (Twin-spar de alumínio), para aumentar a estabilidade e oferecer maior controle nas mudanças de direção. As suspensões rouxeram algumas atualizações para um melhor controle da superesportiva. Na dianteira, o garfo invertido de 43 milímetros, com tecnologia Showa BFF (Balance Free Front Fork) – desenvolvido pela Kawasaki Racing Team –, ganhou uma área de fixação mais ampla no grampo triplo inferior, com revisão dos tubos externos.

Em relação ao visual, foi concebida uma ergonomia totalmente nova, com foco na aerodinâmica, com a bolha para-brisa disposta em um ângulo mais íngreme e quatro centímetros mais alta. A posição dos punhos (manoplas) foi estendida 10 milímetros para frente, a parte traseira do assento foi mais elevada e os pedais foram reposicionados meio centímetro mais altos.

A entrada do Ram Air – marca registrada da Ninja – recebeu novo formato e ficou mais compacto. A carenagem do farol tem aletas embutidas para ajudar a manter a roda dianteira no solo nas saídas de curva e em fortes acelerações. Novas aberturas laterais foram inseridas para melhorar a dissipação do calor do motor.

SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO

Kawasaki Ninja ZX-10R
O novo visual foca na aerodinâmica, com a bolha para-brisa disposta em um ângulo mais íngreme e quatro centímetros mais alta. . Crédito: Divulgação

O sistema de iluminação da nova ZX-10R foi modernizado com tecnologia de leds. A superesportiva tem novos faróis, mais centralizados e com design de inclinação reversa. Os retrovisores receberam novo design com luzes indicadoras de direção em leds. Já os piscas passaram a ser conectados por meio de acopladores, facilitando a retirada dos espelhos para pilotagem em circuitos. Os piscas traseiros também receberam leds.

O sistema eletrônico foi desenvolvido pelo Programa de Modelagem Dinâmica da Kawasaki e aprimorado com a entrada de uma IMU (Unidade de Medição Inercial) da Bosch. A superesportiva tem novos recursos como modos de pilotagem integrados, controle eletrônico de cruzeiro e painel de instrumentos digital em TFT colorido com conectividade para smartphones. As tornaram mais fácil de se definir o controle de tração e a entrega de potência ideais para cada tipo de situação.

Devido as melhorias do sistema de Modos de Pilotagem, o condutor pode escolher entre três configurações pré-determinadas (“Esportiva”, “Estrada” e “Chuva”) e quatro manuais (“Rider” de 1 a 4). O novo e compacto painel de instrumentos digital em TFT de 4,3 polegadas completa o visual de alta tecnologia da ZX-10R. É possível ainda checar uma ligação graças à conectividade via Bluetooth.

Kawasaki ZX-10R ganha design mais aerodinâmico e conectividade

Kawasaki Ninja ZX-10R
O motor ganhou ainda mais desempenho e tornou as emissões mais limpas em comparação a seu antecessor. Divulgação
Kawasaki Ninja ZX-10R
Novas aberturas laterais foram inseridas para melhorar a dissipação do calor do motor. Divulgação
Kawasaki Ninja ZX-10R
A roda dentada traseira maior torna as mudanças de primeira, segunda e terceira marchas significativamente mais próximas, com forte aceleração em média e baixa rotações. Divulgação
Kawasaki Ninja ZX-10R
O novo visual foca na aerodinâmica, com a bolha para-brisa disposta em um ângulo mais íngreme e quatro centímetros mais alta. . Divulgação
Kawasaki Ninja ZX-10R
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções. . Divulgação
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções.
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções.
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções.
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções.
O novo acelerador eletrônico, “fly-by-wire”, elimina a necessidade de cabos e reduz as manutenções.
motocicleta

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.