ASSINE

Fratus empata com francês e perde desempate dos 50 metros livre

Brasileiro terminou a semifinal em oitavo, com o mesmo tempo do Francês Maxime Grousset, mas acabou perdendo o 'tira-teima'

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 23/06/2022 às 17h48
Olimpíadas
Bruno Fratus ficou em primeiro lugar na primeira fase e era esperança de medalha para o Brasil. Crédito: Jonne Roriz/COB

Bruno Fratus viveu um carrossel de emoções durante a disputa dos 50 metros livre no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria. Depois de fazer o melhor tempo nas eliminatórias, ele terminou a semifinal em oitavo lugar, com o mesmo tempo do francês Maxime Grousset. A situação forçou os dois a voltarem à piscina da Arena Duna para um "tira-teima", apenas um contra o outro, e o brasileiro perdeu.

Bronze nos 50 metros livre no Jogos Olímpicos de Tóquio e dono de três medalhas da mesma prova nas edições anteriores do Mundial, Fratus era esperança de medalha para o Brasil, e sua excelente participação na primeira fase, na qual ficou em primeiro lugar, com 21s71, aumentaram ainda mais a expectativa. Na semifinal, ele e Grousset cravaram 21s83 juntos, portanto ficaram empatados na oitava posição.

Na sequência, os dois protagonizaram um momento emocionante, ao caírem sozinhos na piscina, para uma disputa pessoal pela última vaga na final. O confronto muito equilibrado terminou com uma vitória do francês, que completou a prova com o tempo de 21s59, contra 21s62 de Fratus. Foi a 100ª vez que o brasileiro alcançou uma marca abaixo de 22 segundos nos 50 metros livre.

"É difícil. É muito diferente do que eu esperava. Esse centésimo 21 que todo mundo falava acabou sendo meio amargo. Esporte de alto rendimento é isso. Às vezes você ganha, às vezes você perde", comentou Fratus. "Estou desde 2017 subindo em pódio de Mundial, de Pan, de Olimpíada, mas é isso aí, é voltar para casa, treinar, ano que vem tem Mundial, depois Olimpíada", completou.

Além das emoções proporcionadas por Fratus, o Brasil teve o revezamento 4x200 metros na final. A equipe formada por Fernando Scheffer, Vinícius Assunção, Murilo Sartori e Breno Correia completou a prova em 7min04s69, o novo recorde sul-americano, e ficou com a quarta colocação. O pódio foi formado por Estados Unidos, Austrália e Reino Unido.

Em outras disputas, Vivian Jungblut ficou em nono nos 800 metros livre, mas foi para a final após desistência da australiana Kiah Melverton, que acabou em oitavo. Gabi Roncatto competiu na mesma prova e terminou em 13º, enquanto Giovanni Diamante encerrou os 50 metros borboleta em 22º. Nos 100 metros borboleta, Matheus Gonche e Vinícius Lanza ficaram em 18º e 25º lugar, respectivamente. Luiz Gustavo Borges, competidor dos 50 metros livre ao lado de Fratus, foi o 20º.

No polo aquático masculino, a seleção brasileira não foi páreo para a Hungria, perdendo por 20 a 6. Com duas derrotas, amarga a lanterna do Grupo A, enquanto os húngaros lideram com quatro pontos e duas vitórias.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Natação

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.