ASSINE

Veja como adaptar a casa para idosos e evitar acidentes domiciliares

Como forma de prevenção e cuidado com a terceira idade, construtoras, arquitetos e designers têm investido cada vez mais na acessibilidade em moradias

Vitória
Publicado em 05/10/2021 às 18h04
idosos
De modo geral, incidentes com idosos podem ser evitados se pequenos cuidados são tomados nos ambientes. Crédito: Sofia Shultz/Pixabay

Com o avanço da idade, é inevitável o aumento de acidentes domésticos envolvendo idosos. No geral, esses incidentes poderiam ser evitados se pequenos cuidados fossem tomados nos ambientes. Como forma de prevenção e cuidado com a terceira idade, construtoras, arquitetos e designers têm investido cada vez mais na acessibilidade em moradias onde os idosos possam ter mais segurança dentro da própria casa.

“Seguimos as condições de acessibilidade universal, que servem para as pessoas com algum problema de mobilidade ou alguma deficiência. Os idosos, apesar de não terem uma deficiência, com o tempo eles perdem parte da mobilidade, da visão, da audição. A gente tem uma degeneração normal do corpo com o passar do tempo que exige certos cuidados relativos à acessibilidade”, afirma a vice-presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU/ES), Liane Destefani.

Na hora de pensar em adaptar os ambientes da casa para pessoas idosas, é importante se atentar a um amplo espaço de circulação livre de obstáculos, como degraus ou objetos pontiagudos.

Veja abaixo algumas orientações do CAU/ES para melhorar a acessibilidade dentro dos lares:

  1. 01

    Quarto

    No quarto, é importante que a altura da cama tenha de 0,45 a 0,50 m incluindo o colchão, de forma que o idoso sentado na beirada apoie os pés no chão, evitando que desperte alguma tontura. As mesas de cabeceira devem ser arredondadas e, sempre que possível, fixadas no chão ou na parede. Esse cuidado evita o risco do idoso se apoiar e o móvel sair do lugar, podendo ocasionar uma queda. O recomendado é que no ambiente tenha janelas com sistema de abertura para dentro ou de correr, com persianas.

  2. 02

    Banheiro

    O espaço interno deve ser amplo de forma que possa ter a circulação de duas pessoas, facilitando assim a ajuda de terceiros. A porta de acesso deve ter 0,80 m com abertura para fora. O piso e a proteção devem ser antiderrapantes. É importante ter assento para banho fixo, suporte, corrimão lateral, barras de apoio com alturas variáveis. O vaso sanitário deve ter uma base elevada, com altura média de 0,48 a 0,50 m. As barras de apoio devem ter altura de 0,30 m instaladas acima da tampa do vaso. 

  3. 03

    Sala

    Para ajudar na dificuldade visual do idoso, a iluminação deve ser mais forte que o normal. As poltronas e sofás devem ser confortáveis, de boa altura, fáceis de sentar e levantar. Importante ressaltar que esses assentos devem ter densidade moderada. Já as cadeiras, devem ter braços de apoio lateral e ter encosto alto. As mesas de apoio e prateleiras devem ser sem quinas, de preferência sem vidros ou materiais cortantes.

  4. 04

    Cozinha e área de serviço

    No caso desses ambientes, os armários devem ter uma altura que o idoso não precise se esforçar para alcançar. Para evitar qualquer tipo de acidente com louças, guarde objetos mais leves nos armários superiores. Utilize armários inferiores sem portas e com área livre para movimentação das pernas no caso de uso de cadeiras, banquetas ou cadeiras de rodas. As gavetas devem ter fácil abertura, com trava de segurança e divisões para talheres. Barras de apoio em locais firmes também são recomendados. Na cozinha, é importante se atentar ao fogão. Para maior segurança do idoso, os botões de controle devem ser na parte da frente. Dê preferência para colocar o botijão de gás fora de casa.

REVESTIMENTOS

idosos
Em uma casa que tem idosos como moradores, as paredes não devem ter revestimentos com texturas, por exemplo, uma vez que eles podem esbarrar e se machucar. Crédito: Eduardo-Silva/Pixabay

Entre as preocupações relacionadas à segurança do idoso dentro de casa também envolve os revestimentos. De acordo com a marketing manager da Roca Cerámica e Incepa, Christie Schulka, há materiais mais adequados no mercado para este fim.

“As paredes não devem ter revestimentos com texturas, por exemplo, uma vez que poderiam gerar arranhões. Os pisos, por sua vez, devem ser antiderrapantes, garantindo melhor aderência. Os porcelanatos são ótimas opções, contando com acabamentos ABS ou Grip, que não escorregam e permitem um deslocamento fácil dos idosos. Eles também são resistentes a riscos e contam com superfícies super uniformes, o que os torna perfeitos para quem usa cadeira de rodas ou andador", explica.

Além das características técnicas,  a marketing manager destaca que os porcelanatos contam com uma enorme variedade de modelos e estilos, permitindo a criação de um lar aconchegante e que agrade aos moradores. "Existem modelos que contam com a tecnologia de impressão HD, capaz de reproduzir com perfeição a estética de materiais como madeiras e mármores, por exemplo”, afirma.

Quando o assunto é o revestimento de áreas molháveis, como a cozinha, sacada, box ou lavanderia, o cuidado deve ser ainda maior para evitar acidentes. "Existem porcelanatos indicados para cada necessidade do lar e, especialmente nesses ambientes citados, é importante optar por linhas que possuem um coeficiente de atrito maior e, portanto, conferem mais proteção contra o escorregamento”, finaliza.

A Gazeta integra o

Saiba mais
idosos imóveis Condomínio Mercado imobiliário

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.