ASSINE

Saiba como escolher a bancada ideal para sua cozinha

Mármore, granito ou quartzito? Com diferentes tipos de materiais no mercado, é importante entender as propriedades das rochas antes de fechar o projeto. Veja características e preços médios

Rede Gazeta
Publicado em 14/09/2021 às 15h17
Atualizado em 16/09/2021 às 11h21
Com tantos materiais disponíveis no mercado, as dúvidas em relação à qual material escolher são comuns. Mas também é preciso combinar as necessidades com valores que cabem no bolso.
Com tantos materiais disponíveis no mercado, as dúvidas sobre qual escolher são comuns. É preciso combinar as necessidades com os valores que cabem no bolso. Crédito: Decolores Mármores e Granito do Brasil/Divulgação

Seja na hora de preparar um almoço de domingo, seja para fazer as refeições diárias, as bancadas de cozinha são importantes peças, tanto para uso quanto para decoração. Por isso, antes de escolher os materiais pela beleza, também é importante considerar as propriedades das rochas. Afinal, algumas podem não ser as mais indicadas devido a porosidade, capacidade térmica ou rigidez.

“Quando falamos de bancadas, estamos falando de um espaço para preparar e compartilhar momentos com a família e amigos. O contato com a água e com substâncias que podem trazer manchas, como vinhos e azeite, por exemplo, ou o uso de facas e objetos cortantes, tende a ser diário. Então, a porcentagem de absorção d’água e a resistência ao risco são as propriedades mais importantes a considerar”, destaca a especialista de pesquisa e desenvolvimento da Decolores Mármores e Granito do Brasil, Abiliane de Andrade Pazeto.

Segundo ela, a regra geral é: quanto menor a absorção e maior a dureza, melhor o material para ser aplicado nas bancadas. Sendo assim, tanto os granitos quanto os quartzitos são os mais recomendados, porque ambos possuem o mineral quartzo na composição, que tem elevada dureza na escala de classificação.

TIPOS DE MATERIAIS

A escolha entre os materiais vai depender da estética desejada. De acordo com Abiliane de Andrade, os granitos são mais homogêneos e com grãos diferenciados. Enquanto os quartzitos são adotados em visuais mais sofisticados, devido aos movimentos fluidos e tons que vão dos mais sóbrios até aos mais exóticos.

Abiliane de Andrade Pazeto

Especialista de pesquisa e desenvolvimento da Decolores Mármores e Granito do Brasil

"Uma dica para o projetista é não escolher o material apenas no último momento. Isso pode deixar o cliente refém de uma rocha natural de custo muito elevado para ornar com o restante do ambiente. Então, não podemos deixar de considerar a marcenaria, acessórios e papéis de parede"

Por isso, entender a função da cozinha desde o início é um ponto muito importante. De acordo com a arquiteta Juliana Guarize, é preciso combinar uma sinergia com o cliente para identificar o que será aplicado de acordo com as necessidades individuais de cada um.

“Hoje é muito comum procurarem por bancadas brancas sem muitos detalhes. Mas, atualmente, elas não são muito resistentes para quem usa muito. O ideal é escolher um material que não tenha muita absorção. Antes de fechar qualquer projeto é importante estudar essas propriedades”, pontua a arquiteta.

MÁRMORE 

Devido a porosidade, o mármore não é muito recomendado para bancadas na cozinha. Temperos, óleos e produtos abrasivos afetam a durabilidade do material.
Devido a composição técnica, o mármore não é muito recomendado para bancadas na cozinha. Temperos, óleos e produtos abrasivos afetam a durabilidade do material. Crédito: Decolores Mármores e Granito do Brasil/Divulgação

Apesar do apelo estético, o mármore, por exemplo, não é o mais recomendado quando o assunto é bancada de cozinha. Isso porque devido a composição técnica, ele reage mais facilmente aos ácidos utilizados diariamente na cozinha e exige uma impermeabilização muito forte a cada seis meses.

No mercado são comercializados dois tipos de mármore: os calcíticos, facilmente danificados por objetos cortantes e sensíveis a substâncias ácidas, e os dolomíticos, levemente mais resistentes, devido à presença da dolomita entre a composição.

“É um tipo de material muito poroso. Na cozinha, você está sempre em contato com temperos, óleos e produtos abrasivos que afetam a durabilidade. Indicamos sempre as pedras com maior dureza pensando em um uso prolongado”, afirma a designer de interiores Flávia Dadalto.

GRANITO 

As bancadas de granito possuem maior rigidez e menor porosidade. O material é bem utilizado no mercado capixaba e nacional há alguns anos.
As bancadas de granito possuem menor porosidade. O material é bem utilizado no mercado capixaba e nacional há alguns anos. Crédito: Decolores Mármores e Granito do Brasil/Divulgação

Para quem não tem muito cuidado e cautela na manutenção das bancadas, a dica é investir em materiais com baixa absorção de água. Famoso e tradicional, o granito tem maior dureza  e, devido a durabilidade, tem dominado o mercado capixaba há alguns anos.

“Eles nunca saem de moda. Os pretos são mais resistentes para a cozinha e, por isso, os mais recomendados. Como não precisam de manutenção, eles constituem uma opção mais em conta para aqueles que procuram economizar”, alerta a arquiteta Juliana Guarize.

QUARTZITO 

Com um grau de rigidez maior e porosidade menor que a do granito, o quartzito tem a composição quase toda formada por quartzo.
Com um grau de rigidez maior e porosidade menor que a do granito, o quartzito tem a composição quase toda formada por quartzo. Crédito: Decolores Mármores e Granito do Brasil/Divulgação

Assim como o granito, o quartzito também é uma boa opção de material devido ao grau de dureza maior e porosidade menor. Isso porque ele é quase todo composto pelo quartzo, com grau 7 na escala de Mohs, que avalia a dureza das rochas.

ACABAMENTO

Já quando o assunto é acabamento, os mais comuns são o polido e o escovado, podendo aplicar nos três tipos de rochas. No polido, a bancada ganha um aspecto liso, brilhante e exalta a tonalidade natural da rocha. Enquanto o escovado proporciona um toque aveludado, discreto e reduz o desgaste entre os materiais.

Entretanto, a especialista de pesquisa e desenvolvimento da Decolores Mármores e Granito do Brasil, Abiliane de Andrade Pazeto, recomenda a impermeabilização em todos os materiais para aumentar a proteção e a durabilidade.

“Como dicas de cuidado e manutenção, nunca deixe nenhuma substância acumular sobre sua bancada. Assim que ocorrer qualquer derramamento acidental, seque imediatamente com um pano limpo. Na limpeza diária, apenas água e um detergente neutro, nada mais é necessário”, recomenda.

OUTROS MATERIAIS 

  1. 01

    Inox

    Geralmente, quem busca por esse material são as cozinhas industriais e de restaurantes. Entretanto, apesar de antibactericida, ele arranha facilmente.

  2. 02

    Madeira

    Para uma bancada de cozinha, não é muito indicado porque é um material que vai ser danificado. Além disso, não suporta altas temperaturas ou substâncias líquidas. Para quem vai fazer um uso diário no manuseio de alimentos, a madeira não é tão higiênica.

  3. 03

    Porcelanatos

    De todos os mencionados é o que precisa de maior atenção. Apesar de aguentar o calor e ter zero absorção, é um tipo de produto aplicado há pouco tempo, então, de acordo com a designer de interiores Flávia Dadalto, não é possível saber os prós e contras desse material.

PREÇOS 

Com tantos materiais disponíveis no mercado, as dúvidas em relação à qual material escolher são comuns. Mas também é preciso combinar as necessidades com valores que cabem no bolso.

“O preço final varia entre as marmorarias, mas gira em torno de R$ 500 a R$ 800/m² para os granitos, R$ 500 a R$ 900/m² para os mármores nacionais, R$ 1.300 a R$ 1.600 para os mármores importados e R$ 1.300 a R$ 1.600/m² para os quartzitos”, aponta Abiliane de Andrade Pazeto.

Atualização

16 de Setembro de 2021 às 11:10

De forma geral, o conceito de rigidez é utilizado como sinônimo de dureza. Entretanto, tecnicamente há uma diferença entre os termos. O primeiro corresponde à resistência do material em relação à deformação ou quebra quando há uma força aplicada contra essa rocha. Já o segundo, por sua vez, diz respeito à resistência que a bancada apresentaria ao atrito contra outros materiais do dia a dia, como facas e chaves, por exemplo. A matéria foi atualizada.

A Gazeta integra o

Saiba mais
decoracao granito imóveis Mercado imobiliário Mármore Quartzo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.