ASSINE

Reprovação de alunos da rede estadual gera debate entre leitores

Estudantes de ensino fundamental, médio, profissionalização e EJA do Espírito Santo que não tiverem uma participação mínima nas aulas, caracterizada especialmente pela entrega de atividades, serão considerados desistentes

Publicado em 21/10/2020 às 11h24
Atualizado em 21/10/2020 às 12h11
Alunos da Escola Major Alfredo Rabaioli, no bairro Mário Cypreste, com distanciamento entre eles na sala de aula
Alunos da Escola Major Alfredo Rabaioli, no bairro Mário Cypreste. Crédito: Carlos Alberto Silva

EDUCAÇÃO

Rede estadual: aluno que não entregar atividades terá que repetir de ano (Cotidiano, 20/10). Justo! Só acho que toda criança de escola pública deveria estar recebendo material impresso na residência pelo correio. Uns têm acesso à internet, outros não. Alguns pais nem se dão ao trabalho de procurar a escola e em outros casos a escola só disponibiliza material impresso se o responsável insistir muito. (Nelcelí Pereira Vicente)

Nem todas as escolas estão cumprindo com a impressão das atividades, nem todos os professores estão dando suporte para os alunos tirarem dúvidas. A minha filha é prova viva disso. Tenta tirar dúvidas com os professores que nunca respondem nem e-mail , nem WhatsApp. Ficou para mim a responsabilidade de ensinar a ela. Triste isso. Estão comparando o ensino remoto público com o particular, mas a diferença no tratamento é gritante. (Monica Ferreira Silva)

Toda semana estou pegando as atividades na escola, saio de longe mas não deixo de ir... Agora não me venha com essas ameaças, senhor governador. Já estou cansada e de saco cheio, são atividades inúteis. O ano está perdido, essa é a realidade. Virem-se nos trinta para colocar em ordem o estudo em 2021, pois não vou mais me sobrecarregar e nem os meus filhos por conta da pandemia. O vírus está ainda no ar, somente na minha família são 4 confirmados, inclusive uma grávida. Então chega de deixar pais e filhos loucos com questão escolar. (Erika Fraga)

No início disseram que todos passariam, agora vem essa. Pelo menos decidam o que querem de verdade. Nem os professores, nem os alunos estavam preparados para isso. A professora do meu filho tem problema com celular, o dela estragou, e tantas outras crianças que não têm aparelho ou internet boa. E aquelas que moram na zona rural, que a família às vezes não vai à cidade com frequência? Essa pessoa da educação deve viver no Fantástico Mundo de Bob. (Viviane Santos de Souza)

VIOLÊNCIA

Em seis meses, mais de 600 pessoas foram estupradas no Espírito Santo (Polícia, 19/10). Só nós que podemos mudar essa realidade, educando nossas crianças, que serão os próximos adultos. E mudando nossas leis para ter penas severas. Também precisamos apoiar as vítimas, para que elas não se calem. (Mayara Campos)

Nós, mulheres, não estamos seguras muitas vezes nem dentro de casa!! (Natalia Telha)

Essa estatística é muito triste. O que nossos deputados e senadores fazem para acabar com isso? (Rita Feriane)

Eu sabia que com essa pandemia isso iria aumentar. Nossas crianças fora da escola, sem amparo social estão ainda mais vulneráveis a esse tipo de acontecimento, infelizmente. A pergunta que não quer calar: esses estupradores estão na cadeia? (Ellen Ribeiro)

CORONAVÍRUS

"Se houver segunda onda da Covid, o ES está preparado", diz secretário (20/10). É, não costumo defender político não, mas as pessoas são as culpadas. Os comércios reabriram e o povo, ao invés de cumprir o protocolo de cuidado, simplesmente ignora o risco e nem máscara está usando. Não respeita nem o funcionário que está a trabalhar colocando a própria vida e a do outro em risco. A culpa agora é da população. (Estanislau Nat)

Hoje fui à padaria e um senhor entrou sem máscara e ninguém falou nada. Eu já deixei de ir a outra padaria por isso, tanto o dono como alguns funcionários estavam sem máscaras. Aí o sem noção arrasa, pensando que o vírus já foi exterminado. (Antonia Novais)

É muito provável que teremos uma segunda onda da covid-19 no país, não somos melhores que os outros países, pelo contrário. E os números provam isso. O governo teria que ter implantado regras mais rígidas nessa primeira onda, algo que não aconteceu. Agora, a economia do país resiste a uma segunda onda? O governo consegue dar suporte as famílias e pequenas e médias empresas caso o mais provável aconteça? (Marcelo dos Santos Lirio)

POLÍTICA

Flagrado com dinheiro na cueca, senador se licencia e filho pode assumir (Brasil, 20/10). Essa seria uma das propostas para a reforma política: acabar com a figura do suplente, que muitas vezes são pessoas que colaboram financeiramente com a campanha do candidato ou, como no caso em questão, um parente. Sugiro que seja o segundo mais votado e assim sucessivamente. (Edson Siqueira Pinto)

Atualmente, os crimes mais hediondos são os cometidos por autoridades responsáveis pela aplicação de recursos no combate à Covid-19 e que, sordidamente, afanam essa grana, como meliantes insensíveis às tragédias que acometem os seus eleitores; são pessoas escolhidas pela população através do voto. E quando flagrados apresentam versões ridiculamente inocentes de seus crimes, geralmente sendo acobertados por membros de sua categoria, como se punições fossem destinadas apenas aos miseráveis ladrões de galinha e se nem todos estivessem sujeitos aos rigores da lei. Desse jeito, vamos ter certamente muitos outros tristes episódios do tipo. (Roberto Pimentel)

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.