ASSINE

"Não estamos fazendo nossa parte", diz leitor sobre disseminação do vírus

Pandemia tem dado sinais de que está ganhando força novamente no Espírito Santo. Na primeira quinzena deste mês, número de mortes subiu pela primeira vez desde junho

Publicado em 17/11/2020 às 10h39
Ciclista com máscara no calçadão de Camburi
Ciclista com máscara no calçadão de Camburi. Crédito: Carlos Alberto Silva

A pandemia do novo coronavírus tem dado sinais de que está ganhando força novamente no Espírito Santo. Apenas na primeira quinzena de novembro, foram divulgadas mais 154 mortes causadas pela Covid-19 no Estado. Em relação ao mesmo período de outubro, essa quantidade representa um crescimento de 3,35%.

Embora pequeno, este é o primeiro aumento desde o pico de óbitos, registrado em junho. As mortes registradas neste mês felizmente ainda estão longe das registradas no período mais crítico da pandemia no Estado, mas servem de alerta, segundo especialistas.

O pico de novos casos na Região Metropolitana neste mês, por exemplo, ultrapassou o da primeira curva. Em 8 de novembro, a média móvel de casos de coronavírus em 14 dias chegou a 132,64 na região, ultrapassando os números observados nos primeiros meses da pandemia.

Outro fator que preocupa é a taxa de ocupação de leitos para pacientes de Covid-19. Segundo o secretário de Saúde do Estado, Nésio Fernnades, tem se desenhado um cenário de aumento sustentado dos óbitos e das internações acima de 330 pacientes/dia. 

O aumentos dos números em torno do novo coronavírus no Espírito Santo foi um dos assuntos mais debatidos pelos leitores de A Gazeta nos últimos dias. Confira alguns comentários postados em nossas redes sociais:

É muito fácil culpar os governantes. Difícil mesmo é assumir que não estamos fazendo nossa parte que é usar máscara de proteção, lavar as mãos com água e sabão, manter distanciamento seguro e usar álcool 70. Não esperem que façam para nós. (Devarley João Cecatto)

São as aglomerações, os feriadões, as praias lotadas, as campanhas políticas, os bares, os ônibus lotados... Todo mundo junto e misturado, e o pior: sem se cuidar, principalmente com a bendita máscara, que quase ninguém usa. (Zilma Modenesi)

Nos últimos dias a população está toda na rua, aglomerada e sem praticar as medidas de segurança. Nos próximos dias veremos a mídia noticiar o aumento dos casos de Covid-19. Tem gente, cara de pau, que vai dizer que a mídia estará inventando porque as eleições passaram. (Marcela Junqueira)

Meus sinceros sentimentos a todas as famílias enlutadas. Agora vamos ver se os políticos levam a saúde alheia mais a sério e invistam de verdade nesse setor. (Maria Iraides Capelini)

E ainda tem gente votando em candidato que duvida da existência da pandemia… (Thiago Freitas)

O número poderia ter sido bem menor se as autoridades e a população tivessem aderido ao lockdown, mas, infelizmente, o que seguimos presenciando é justamente o contrário. Este é o resultado da ignorância. E isso me faz lembrar da frase do Apóstolo Paulo: “O salário do pecado é a morte”, porque ignorância é pecado. Lamento por todas as vidas perdidas e pelas famílias devastadas, mas já passou da hora de termos consciência o suficiente para fazer parar este sofrimento. (Marcelo Vijay Geaquinto de Melo)

Eu tive Covid fiquei na UTI com 93 % pulmão comprometido. Graças a Deus eu sobrevivi, não desejo para ninguém o que passei. Agora vão fechar tudo e quem vai sofrer é trabalhador que precisa sustentar sua família! (Lineara Santos)

Aqui no meu bairro e na região ninguém usa máscara faz dois meses, porque dizem que é balela. (Rosângela Senna)

O vírus está contaminado mais depois que o povo esqueceu dele. Minha nora trabalha em um hospital particular e disse que está lotado. (Isaura Almeida)

Eu conheço uma família que viajou no feriado de Finados. Nove dias após a viagem, estão todos positivos para o vírus. No meu bairro ninguém usa máscara há uns dois meses. (Rosângela Senna)

A Covid precisa, sim, ser bem divulgada. Acho que a imprensa tinha que mostrar os velórios e enterros para as pessoas tomarem mais cuidado, para ver se essa praga acaba antes que nós, os humanos, sermos extintos. (Maria do Carmo Damasceno Cosmi)

Gente, desculpa, mas não tem cura ainda. Infelizmente vai ser assim até existir uma cura. Ficar em casa melhora um pouco. Vamos voltar, aí começa tudo de novo, para tudo, depois de novo e de novo... até ter uma cura. Então temos que nos prevenir. (Emanoele Falcao Ventura)

Apenas 0,7% da população mundial testou positivo para a Covid e apenas 0,001% morreu. Vou continuar tomando minhas vitaminas e sol. (Vinny Alves)

Pena que as pessoas não querem acreditar, estão pagando para ver acontecer na família. Eu conheço uma família toda contaminada, e a mãe está na UTI. Pensava igual a muitos que não acreditam na doença. (Carmen Lucia Lambranho Tofano)

Mas é óbvio que os casos iriam aumentar! Campanha política cortando solta, milhares na rua sem máscara, sem distanciamento, uma aglomeração só, uma farra, como se o vírus tivesse obedecido à ordem de sumir nesse período. Triste isso! Agora que está subindo, já sei quem vai pagar o pato: o comércio. (Ariadne Fernandes)

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.