ASSINE

Brasil joga mal, mas vence o Chile e segue em vantagem nas Eliminatórias

Mesmo longe do seu melhor futebol, Seleção vence chilenos com gol de Everton Ribeiro

Publicado em 03/09/2021 às 00h26
Everton Ribeiro marcou o gol que garantiu a vitória do Brasil sobre o Chile
Everton Ribeiro marcou o gol que garantiu a vitória do Brasil sobre o Chile. Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

Mesmo desfigurada em razão dos problemas com as convocações, a Seleção Brasileira venceu o Chile por 1 a 0 na noite desta quinta-feira (2), no Estádio Monumental, em Santiago. Everton Ribeiro marcou o gol da vitória. Com o triunfo na capital chilena, a equipe do técnico Tite manteve os 100% de aproveitamento na atual edição das Eliminatórias. Líder com 21 pontos, tem seis de vantagem sobre a segunda colocada Argentina, adversária dos brasileiros na próxima rodada.

No último encontro entre os rivais, o time argentino levou a melhor na final da Copa América deste ano, no Maracanã, com gol de Ángel Di María que encerrou um jejum de 28 anos sem títulos para o país. Também nesta quinta, os comandados de Lionel Scaloni foram à Venezuela e venceram os donos da casa por 3 a 1.

Da lista inicial para esta rodada tripla de Eliminatórias, Tite não pôde contar com nove jogadores da Premier League. Esses atletas não foram liberados por seus clubes para virem à América do Sul em razão dos protocolos de quarentena para o retorno à Inglaterra, que os tirariam de ação na liga inglesa por muitas partidas.

Um dia antes da viagem ao Chile, Tite também perdeu Claudinho e Malcom, que receberam ordem do Zenit (RUS) para retornar à Rússia. Além da dupla, Matheus Nunes, jogador do Sporting (POR) que havia sido chamado após o veto dos convocados da Premier, também não se apresentou à seleção. O atleta estuda a possibilidade de defender Portugal.

O JOGO

Com tantos problemas para montar a equipe, o que se viu em Santiago foi resultado da preparação problemática. Tite mandou a campo um time alternativo no 4-4-2, com Bruno Guimarães ao lado de Casemiro no meio, Lucas Paquetá e Vinicius Junior abertos pelos lados do campo e Gabigol com Neymar na frente. Paquetá, que começou pela direita, veio para o lado esquerdo dar suporte a Alex Sandro contra as subidas do lateral chileno Isla.

O Chile buscou se aproveitar da desorganização brasileira e comandou as ações, mas parou em Weverton, que ganhou pontos com a atuação segura na ausência dos dois goleiros que estão à sua frente na hierarquia, Ederson e Alisson, barrados da convocação por Manchester City e Liverpool, respectivamente.

Na etapa final, Tite mandou a campo Everton Ribeiro e Gerson, companheiros de Flamengo até a ida do último para o Olympique (FRA). Coube a outro colega rubro-negro de Everton, porém, a participação no gol da vitória.

Gabigol saiu da área, segurou a bola no lado direito e esperou a passagem de Danilo, que carregou pelo meio da defesa e tocou para Everton Ribeiro. O meia serviu Neymar, que finalizou em cima de Bravo, mas o flamenguista acompanhou o lance e aproveitou o rebote para decretar a vitória em solo chileno. 

A partir daí o jogo ficou mais pegado, mas ninguém conseguiu balançar as redes e o Brasil conseguiu assegurar a vitória.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Futebol Seleção brasileira

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.