ASSINE

Agente afirma que goleiro Bruno é alvo de quatro times capixabas

Com relação às repercussões negativas a cada negociação representante garante que Bruno não se abala

Publicado em 11/02/2020 às 19h02
Atualizado em 11/02/2020 às 21h14
Goleiro Bruno é desejo de times do Estado. Crédito: Arquivo
Goleiro Bruno é desejo de times do Estado. Crédito: Arquivo

A novela da possível vinda do goleiro Bruno para o futebol capixaba está muito longe de acabar. Após o São Mateus reafirmar, na semana passada, que mantém as negociações com o jogador, existe a possibilidade de ele pintar em outro clube local. De acordo com o representante do jogador, Matheus Pereira, outros quatro times do Espírito Santo têm interesse no atleta, dois da Grande Vitória e dois do interior do Estado. Esposa de Bruno, Ingrid Calheiros confirmou à A Gazeta que Matheus tem carta branca para negociar pelo marido.

“Quatro equipes querem contar com o Bruno. Uma delas tem 90% da negociação já definida. Vou me reunir com dirigentes deste clube e o anúncio oficial pode ser feito na próxima sexta-feira. As chances do Bruno vir para o Estado são grandes”, declarou Matheus que preferiu não falar quais são as equipes.

Com relação bem próxima à família de Bruno, Matheus garante que o goleiro está muito feliz ao lado da família e treinando forte para voltar a atuar por um clube profissional. “O Bruno está preparado. Ele está treinando muito forte em Varginha-MG. Está vivendo um do melhores momentos da vida dele após deixar a prisão (Bruno cumpre regime semiaberto). Bruno merece uma segunda chance. Ele tem 35 anos. Se largar o futebol vai trabalhar de que se não tem experiência nenhuma?”, afirmou.

Com relação às repercussões negativas a cada negociação e protestos de movimentos formado por mulheres, Matheus garante que Bruno não se abala. “Acreditamos que muito disso é organizado por políticos ou sindicalistas. Não nos incomoda”.

Relembre o caso

Bruno foi preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho. As penas válidas somadas são de 20 anos e 9 meses. Atualmente, Bruno cumpre pena em regime semiaberto domiciliar em Varginha, Minas Gerais.

Futebol Capixaba

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.