COI diz não ter plano B para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Segundo o presidente do comitê, Thomas Bach, não há nenhuma razão para acreditar que os Jogos Olímpicos de Tóquio não começarão em 23 de julho.

Publicado em 21/01/2021 às 17h28
Atualizado em 21/01/2021 às 17h29
Thomas Bach, presidente  do COI
Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) . Crédito: Divulgação/Imago Sportfotodienst

Não existe plano B para os Jogos de Tóquio, disse o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que reafirmou seu compromisso de realizar o evento poliesportivo neste ano durante uma entrevista concedida à agência de notícias Kyodo News nesta quinta-feira (21).

No próximo sábado (23), terão se passado seis meses desde a data original de início da Olimpíada, que foi adiada por causa da pandemia global do novo coronavírus (covid-19) e remarcada para começar em 23 de julho deste ano.

Apesar do apoio público minguante e de uma disparada de casos de coronavírus em todo o mundo, os organizadores insistem que os Jogos acontecerão.

“Não temos, neste momento, nenhuma razão para acreditar que os Jogos Olímpicos de Tóquio não começarão em 23 de julho no Estádio Olímpico de Tóquio”, disse Bach à Kyodo News.

“É por isso que não existe um plano B, e é por isso que estamos totalmente comprometidos a tornar estes Jogos seguros e bem-sucedidos” acrescentou.

Com a Olimpíada de Inverno de 2022 de Pequim no horizonte, e os gastos crescentes diminuindo o apoio público, os organizadores de Tóquio têm repetidas vezes descartado adiar o evento novamente.

Tóquio Mundo Olimpíadas Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.