ASSINE

Arquiteta morre atropelada por motorista embriagado em Iúna

Marlysse Carla da Silva Rocha fazia uma caminhada quando foi atingida por um carro. O motorista, Judson Dias de Almeida, 41, foi preso por embriaguez ao volante e homicídio culposo de trânsito

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 03/05/2021 às 17h07
Marlysse Carla da Silva Rocha
Marlysse Carla da Silva Rocha. Crédito: Reprodução/ Redes sociais

A arquiteta Marlysse Carla da Silva Rocha morreu após ser atropelada enquanto caminhava na noite do último sábado (1°), às margens de uma rodovia estadual, em Iúna, na Região do Caparaó.  A vítima chegou a ser socorrida para o hospital do município. O motorista que causou o acidente, Judson Dias de Almeida, de 41 anos, foi preso logo após o fato.

Segundo a Polícia Civil, o atropelamento aconteceu por volta das 19h. A vítima estava sozinha quando foi atingida por um Volkswagen Saveiro, que invadiu as margens da pista, arrancou blocos de cimento que separam a pista do acostamento e atropelou a arquiteta.

Judson Dias de Almeida contou que saiu do local do acidente por medo de sofrer alguma represália da população e procurou a Polícia Militar. Ele foi então encaminhado à delegacia de plantão, em Venda Nova do Imigrante.

Na delegacia, o motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas, por constatação indireta, foi autuado por embriaguez ao volante e homicídio culposo de trânsito. Judson foi levado para o Centro de Triagem de Viana, onde passou por audiência de custódia e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva pelo juiz, segundo a Polícia Civil.

COMOÇÃO 

Marlysse Rocha era natural de Guaçuí, mas tinha familiares em Iúna, cidade onde foi servidora pública. Uma nota de pesar foi publicada nesta segunda-feira (3) nas redes sociais do município de Iúna.

“A prefeitura municipal de Iúna se solidariza pelo falecimento da arquiteta Marlysse Carla da Silva Rocha ocorrido no dia 1º de maio de 2021. Neste momento de profundo pesar e dor, a administração municipal manifesta aos familiares e amigos, expressando as mais sinceras condolências pela sua partida precoce. Marlysse já foi servidora pública municipal e sua partida deixa um legado de carinho e amizades. Deixará muitas saudades a todos. Nossos mais sinceros sentimentos”, publicou a administração municipal.

Manifestações de solidariedade à família da arquiteta também foram enviadas por entidades católicas onde ela atuou como missionária, como a Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Afuá, no município de Afuá, no Estado do Pará, e o trabalho de evangelização as famílias do bairro do Capimarinho, o Projeto Anjo da Guarda, na mesma cidade.

“Chegastes em nosso projeto para arquitetar um sonho e deixastes cada detalhe com a perfeição do dom que Deus te deu. Choramos tua perda, sentiremos tua saudade. Mas nos alegramos em saber do coração contrito a Deus e devoção por Maria, que sempre tivestes. Termina de rezar teu terço no céu, minha querida. Junto a virgem Maria, aos anjos e a São Filipe Neri. Obrigada por dedicar sua vida ao serviço e por nos permitir a graça de convivermos contigo na missão Afuá. Vá em Paz, Marlysse Rocha. Sua missão se cumpriu. Brilha no céu, anjo amado, por todos que ficarão aqui nesta terra rezando por ti!”, divulgou o Projeto Anjo da Guarda em seu perfil em rede social

O velório da jovem aconteceu na capela mortuária de Guaçuí e o sepultamento ocorreu nesta segunda-feira, no cemitério do município.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.