ASSINE

Protesto fecha avenida principal de Planalto Serrano, na Serra

Uma barricada com fogo bloqueou a avenida. Manifestação impediu o acesso de ônibus aos blocos B e C do bairro, no início da noite de sexta-feira (1°).  PM e Corpo de Bombeiros foram acionados e desobstruíram a via

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 02/07/2022 às 10h39
Protesto em Planalto Serrano, Serra, impediu o acesso aos blocos B e C, na noite de 1º de julho
Protesto em Planalto Serrano, Serra, impediu o acesso aos blocos B e C, na noite de 1º de julho. Crédito: Montagem A Gazeta

Um protesto no bairro Planalto Serrano, na Serra, impediu o acesso aos blocos B e C do bairro, no início da noite desta sexta-feira (1º). Uma barricada com fogo bloqueou a principal avenida do bairro. O Corpo de Bombeiros precisou ser acionado para controlar as chamas. Várias viaturas da Polícia Militar também estiveram no local.

No horário em que o protesto foi iniciado, por volta das 18 horas, muitos moradores voltavam para casa vindos do trabalho e tiveram de aguardar para seguir adiante.

A Polícia Militar informou, em nota, que foi acionada no início da noite de sexta-feira para averiguar a informação de que cerca de trinta indivíduos teriam obstruído a via principal no Bloco C do bairro Planalto Serrano e, inclusive, estariam mantendo três coletivos em poder deles, sob ameaça de incendiá-los.

"Equipes da Força Tática, Batalhão de Missões Especiais e Guarda Municipal da Serra se deslocaram para a região, onde foram atacadas por criminosos que realizaram disparos de arma de fogo contra os agentes e amassaram os capôs das viaturas com arremessos de pedras", acrescentou a Polícia Militar na nota.

Sem ônibus, que não conseguiam passar devido à obstrução da pista, estudantes e trabalhadores voltaram para casa a pé. Alguns tiveram de andar por mais de meia hora.

Segundo relato de moradores à equipe da TV Gazeta que esteve no local, houve tiroteio no bairro. Por volta das 20 horas, várias viaturas da Polícia Militar foram vistas entrando no bairro. A equipe também registrou policiais militares orientando aos moradores dos blocos B e C que esperassem a situação ser controlada para depois voltarem para casa. 

Para liberar o território e os ônibus que estavam presos no Bloco B de Planalto Serrano, os policiais militares revidaram com disparos de arma de fogo, fazendo uso de bombas de efeito moral e tiros de balas de borracha, também segundo a nota oficial.

 Os policiais informaram à equipe da TV Gazeta que tiros foram disparados próximo ao local das chamas. Na ocasião, eles não souberam esclarecer o motivo do protesto, da mesma forma que os moradores ouvidos. Mas, na nota divulgada posteriormente, a PM informou que populares disseram que a "ação teria sido coordenada por um homem que havia insuflado a comunidade durante toda a semana para provocar o Estado, mas nenhum suspeito foi detido e não houve registro de feridos durante o protesto".

O Corpo de Bombeiros foi acionado e seguiu em direção ao local de bloqueio da avenida para apagar as chamas. Em nota, a corporação informou que realizou o combate e debelou as chamas da barricada. Em seguida, retirou o material, desobstruindo a via, por volta das 22 horas. Na manhã deste sábado (2), os ônibus voltaram a circular no local.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, não houve feridos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Bombeiros Serra Polícia Militar planalto serrano

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.