ASSINE

Preso suspeito de matar jovem com tiro na cabeça em bar de Vila Velha

Kamila Rodrigues Pião, de 19 anos, foi morta em julho deste ano em um pagode clandestino em Alecrim; autor foi detido na casa do pais, que fica no mesmo bairro

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 22/09/2021 às 11h50
Atualizado em 22/09/2021 às 18h45
Kamila Rodrigues Pião, 19 anos, foi morta com um tiro na cabeça
Kamila Rodrigues Pião, de 19 anos, foi morta com um tiro na cabeça em julho de 2021. Crédito: Reprodução

Um homem de 27 anos, suspeito de ser o autor do assassinato de Kamila Rodrigues Pião, de 19 anos, foi preso nessa terça-feira (21), no bairro Alecrim, em Vila Velha. O crime ocorreu na madrugada de 4 de julho deste ano, durante um pagode clandestino realizado na mesma região. Além do feminicídio, o autor foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. Ele não teve o nome informado pela polícia.

À frente da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), a delegada Raffaella Almeida informou, em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (22), que o acusado mantinha um relacionamento conturbado com a vítima e teria matado a namorada por ciúmes.

Raffaella Almeida

Delegada titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM)

"Naquela noite, ele começou a desconfiar que a vítima estava mantendo algum tipo de relacionamento com o próprio irmão. Ele tinha uma posse tão grande da vítima, que ele não permitia que ela saísse de casa ou que mantivesse qualquer tipo de conversa com outro homem"

Segundo a delegada, as investigações apontaram que familiares de Kamila e do autor do crime estavam no bar, assim como integrantes do tráfico de drogas da região de Alecrim. O disparo que atingiu a cabeça da vítima foi efetuado na presença de todos. Em seguida, o suspeito fugiu. Pessoas que estavam no local chegaram a socorrer a jovem, mas ela morreu após dar entrada no hospital.

Em depoimento à polícia, o homem de 27 anos relatou que o tiro foi acidental. "Essa versão não prospera, tendo em vista que ele sacou a arma. O tiro deveria ter vindo, então, de baixo para cima. Porém, no laudo cadavérico da vítima, observamos que o orifício de entrada da bala veio de cima", esclarece Rafaella.

Raffaella Almeida

Delegada titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM)

"O que aconteceu foi uma execução. Quando a vítima voltou do banheiro, ele sacou a pistola que estava na cintura, apontou para a cabeça dela e atirou"

Além da prova técnica obtida pelo exame, outros dois fatores colaboraram para demonstrar o dolo — a intenção de matar. "Ele andava com uma arma de fogo. Como alega que não sabe manusear? O normal, para uma pessoa que efetua um disparo acidental, é socorrer a vítima, não fugir", defende a delegada.

Quando o mandado de prisão foi expedido, dois dias após o crime, o suspeito fugiu para o Complexo da Maré, no município de Rio de Janeiro (RJ), onde ficou por cerca de um mês antes de retornar ao Espírito Santo. Com a continuidade dos monitoramentos, ele acabou sendo preso na casa dos pais, em Alecrim.

AUTUAÇÃO POR TRÁFICO DE DROGAS

No momento da prisão, realizada com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), o homem de 27 anos estava com uma "certa quantidade de drogas e anotações em um caderno relativo a vendas de entorpecentes na região". Por isso, ele também foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. O suspeito já tinha passagem por porte ilegal de arma de fogo e roubo.

É VÍTIMA DE VIOLÊNCIA? DENUNCIE

Aproveitando a notoriedade do caso, a delegada Denise Maria Carvalho reforçou que o relacionamento de Kamila com o suspeito era conturbado e que, antes de ser morta, ela sofria violência psicológica e física, mas nunca procurou a delegacia para fazer denúncia a respeito.

"Ela achou que nada mais grave poderia acontecer. Queremos fazer um alerta para todas as mulheres que estão sofrendo violência doméstica ou de qualquer tipo: procure a delegacia da mulher para registrar a ocorrência e ter ajuda da polícia", orientou, também na coletiva desta quarta-feira.

Atualização

22 de Setembro de 2021 às 18:46

Após a publicação desta matéria, a Polícia Civil realizou uma coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (22), em que divulgou detalhes sobre a prisão do suspeito e as investigações. As informações foram inseridas no texto.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.