ASSINE

Polícia prende suspeito e apreende armas, pássaros e caças abatidas em Linhares

As apreensões foram realizadas pela Polícia Militar Ambiental em uma casa que fica na localidade de Perobas, no interior do município. O suspeito preso foi levado para a 16ª Delegacia Regional de Linhares

Publicado em 31/07/2020 às 10h22
Atualizado em 31/07/2020 às 10h22
Polícia Ambiental apreende armas, munição, pássaros e caças abatidas em Linhares
A prisão do suspeito e a apreensão do material só foi possível graças a uma denúncia anônima. Crédito: Polícia Militar Ambiental/Divulgação

Uma denúncia anônima levou a Polícia Militar Ambiental até uma residência que fica na localidade de Perobas, no interior de Linhares, na Região Norte do Estado, nesta quinta-feira (30). No local, os militares prenderam um homem, além de apreender armas, munições e animais silvestres.

De acordo com o sargento Anízio Júnior, da Polícia Militar Ambiental, na casa do suspeito foram apreendidas seis armas, mais de 700 munições, três pássaros, dois lagartos abatidos, além de outros materiais utilizados para a captura de animais silvestres.

“De certa forma foi até uma surpresa que ele não estava esperando. Assim que identificou a presença da polícia e, verificando os pássaros e a arma, ele acabou confessando que todo o material é dele e que ele já possui isso há algum tempo”, comentou.

Após constatarem o crime, o homem foi preso e encaminhado para a 16ª Delegacia Regional de Linhares. O material encontrado também foi apreendido.

Polícia Ambiental apreende armas, munição, pássaros e caças abatidas em Linhares
Na casa do suspeito foram apreendidas 6 armas, mais de 700 munições, 3 pássaros, 2 lagartos abatidos. Crédito: Polícia Militar Ambiental/Divulgação

ALERTA

O sargento Anízio Júnior fez um alerta sobre as penalidades para quem comete crimes ambientais. Além disso, o militar reforçou que a Polícia Ambiental tem aumentado o número de fiscalizações na região.

“Manter animal em cativeiro sem autorização do órgão ambiental competente é crime. Às vezes, de certa forma, identifica-se a prática cultural de antepassados, de pessoas que já tem esse costume, mas ela se torna crime. Esse tipo de crime a Polícia Ambiental tem combatido, evitando que as pessoas parem de caçar, intensificando as fiscalizações, as abordagens e tem crescido bastante esse número de fiscalização e esse número de crimes que temos encontrado no dia a dia”, complementa.

Com informações de Luiz Zardini, da TV Gazeta Norte

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.