ASSINE

Polícia mira máfia internacional de agiotagem com atuação no ES

Segundo a Polícia Civil, colombianos e equatorianos de uma quadrilha colombiana que atua no Espírito Santo emprestando dinheiro com juros diários a pessoas físicas e pequenos comerciantes – ameaçando depois as vítimas – estão na mira da operação

Publicado em 10/09/2020 às 08h05
Atualizado em 10/09/2020 às 13h21
Um dos mandados é cumprido em Vila Velha
Polícia deflagra uma operação contra uma máfia internacional que atua no ES. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quinta-feira (10), a Operação Cartagena contra uma quadrilha internacional especializada em agiotagem e extorsão que atua no Espírito Santo.

O alvo, de acordo com a polícia, é uma máfia de colombianos e equatorianos que atua no Estado emprestando dinheiro com juros diários para pessoas físicas e pequenos comerciantes, ameaçando depois as vítimas e fazendo uso de violência para receber o valor. Algumas vítimas chegaram a entregar imóveis para esses suspeitos de tão ameaçadas que se sentiram, segundo o secretário de Segurança, Alexandre Ramalho. 

"São mais de seis meses investigando essa máfia, uma máfia colombiana com equatorianos. Trabalham em cima de extorsão e outros crimes. Agora a investigação inicia uma segunda fase, de identificação, com levantamentos de dados e levantamento de contas bancárias", comentou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, em entrevista à TV Gazeta.

São cumpridos nove mandados de busca e apreensão e de prisão. Os mandados acontecem em Vila VelhaAracruz e Itaipava, distrito de Itapemirim. Pelo menos, 15 pessoas foram levadas para a delegacia, entre elas uma brasileira, que mora em Vila Velha. Isso porque, além dos mandados, também teve prisões em flagrante.

Ao todo, cerca de 50 agentes atuaram na operação, com participação do secretário da Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho, e o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

"É uma linha severa, que torturava psicologicamente essas pessoas, que começavam pegando R$ 1,5 mil, R$ 2 mil e não saíam mais dessa dívida. E vinham uma série de promissórias, bens eram colocados nessa dívida e a pessoa ficava eternamente amarrada a essa organização criminosa, inclusive com ameaça a vida", acrescentou Ramalho, que acompanhou uma prisão feita em um condomínio na Praia de Itaparica.

Um comerciante de Campo Grande, em Cariacica, contou que um funcionário dele foi vítima. Segundo ele, o amigo pegou R$ 1.000 e cinco dias depois já devia R$ 1.800. Os suspeitos mandavam uma brasileira dar um cartão e oferecer um empréstimo, mas eram os estrangeiros que cobravam de forma violenta.

"Eles só falavam que queriam o dinheiro e xingavam de tudo que é forma. Você ficava sem saber o que fazer porque eles ameaçam levar os produtos da loja", conta.

As investigações começaram meses atrás e se intensificaram depois que um policial civil foi baleado ao tentar ajudar pessoas que tinham acabado de sofrer um acidente, mas, na verdade, eram bandidos ligados à máfia.

Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão

Operação mira colombianos e equatorianos
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão. Divulgação/ Polícia Civil
Operação mira colombianos e equatorianos
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão. Divulgação/ Polícia Civil
Operação mira colombianos e equatorianos
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão. Divulgação/ Polícia Civil
Operação mira colombianos e equatorianos
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão. Divulgação/ Polícia Civil
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão
Polícia deflagra operação contra máfia internacional de extorsão

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.