ASSINE

Morta a facadas, Luana perdeu filha de 5 meses há menos de um ano

Bebê faleceu de morte súbita, de acordo com familiares de Luana. O pai da criança é o ex-namorado da jovem, que foi preso por suspeita de feminicídio

Publicado em 10/02/2021 às 16h12
Luana Demonier foi morta quando voltava do trabalho
Luana e a filhinha que morreu aos cinco meses. Crédito: Reprodução/Instagram

Assassinada brutalmente perto de casa, a técnica em Segurança do Trabalho Luana Demonier, de 25 anos, passou por um trauma familiar há poucos meses. Em maio, sua filha faleceu com apenas cinco meses de idade. O bebê teve morte súbita, de acordo com parentes de Luana.

A criança era filha de Luana com o ex-namorado, Rodrigo Pires Rosa, que é o suspeito de matar a jovem. Familiares da vítima contaram que eles ficaram juntos por um ano e que Rodrigo abandonou Luana e a filha assim que a criança nasceu.

Se não bastasse toda a tristeza pela perda da filha, familiares de Luana contaram que Rodrigo usava a morte da criança para ameaçar a ex, dizendo que "iria mandá-la para onde a menina estava".

JOVEM FOI INTIMIDADA POR EX NO DIA DO CRIME, DIZ PARENTE

No mesmo dia em que foi assassinada, a técnica de segurança de trabalho foi intimidada pelo ex-namorado dentro do ônibus, segundo parentes da vítima. Luana foi morta a facadas no bairro Vila Capixaba, em Cariacica, enquanto voltava para casa, por volta das 19h desta terça-feira (09). Nesta terça-feira, pela manhã, de acordo com relato de parentes, o suspeito teria entrado no mesmo ônibus em que Luana estava e começou a falar, em voz alta, da morte da criança. Segundo a família da vítima, outros passageiros entenderam que aquela poderia ser uma ameaça.

Ele é suspeito de agredir três mulheres
Rodrigo Pires Rosa já tinha mandado de prisão em aberto. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta

Luana tinha medida protetiva contra ele. Segundo a Polícia Civil, o assassinato ocorreu por volta das 19h, quando Luana voltava do trabalho. Enquanto fazia o trajeto, a jovem recebeu uma mensagem do ex-companheiro, que afirmava que iria matá-la.

Ao chegar em uma rua do bairro Vila Capixaba, onde morava, foi surpreendida pelo suspeito, que a teria golpeado com cerca de 15 facadas, informou a polícia. Luana morreu no próprio local. Na tarde desta quarta-feira (10), Rodrigo Pires Rosa se entregou à polícia.

SUSPEITO JÁ FOI FLAGRADO AMEAÇANDO OUTRA EX COM UMA FACA

A Polícia Civil informou em nota que o suspeito era alvo de investigações da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Cariacica desde 2015, e responde a oito inquéritos policiais instaurados nesta unidade, por crimes relacionados à violência doméstica. Em um desses episódios, um vídeo chegou a mostrar Rodrigo correndo atrás de uma outra ex-companheira com uma faca.

Em 30 de julho de 2020, ele foi preso em flagrante pelo crime de ameaça e encaminhado ao Centro de Triagem de Viana, mas ganhou liberdade no dia 3 de setembro.

As investigações da Polícia Civil geraram mandados de prisão em desfavor do investigado. Ele era um dos alvos na última edição da Operação Maria’s, realizada em dezembro de 2020, e não foi localizado na ocasião. Em janeiro, novas diligências foram realizadas, mas ele não foi encontrado. "Após tomar conhecimento da ordem de prisão, o investigado passou a viver em condição de andarilho, sem endereço fixo, o que dificulta sua localização", informou a Polícia Civil.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.