ASSINE

Confronto em bar termina com PM e acusado de executar ativista mortos em Linhares

Segundo a PM, os policiais estavam no local para parabenizar um amigo que fazia aniversário e foram alvo de disparos efetuados por Jhulian Harlei Alves de Souza, conhecido como Dudu

Linhares
Publicado em 03/08/2021 às 11h48
Richard Pereira Rocha, de 35 anos, e Jhulian Harlei Alves de Souza. Crédito: Divulgação / Montagem A Gazeta
Richard Pereira Rocha, de 35 anos, e Jhulian Harlei Alves de Souza. Crédito: Divulgação / Montagem A Gazeta

Um confronto em um bar na noite desta segunda-feira (2), no bairro Shell, em LinharesNorte do Espírito Santo, terminou com a morte do policial militar Richard Pereira Rocha, de 35 anos, e de um dos acusados de executar o ativista Jonas da Silva Soprani, Jhulian Harlei Alves de Souza, conhecido como Dudu. Segundo a PM, os policiais estavam no local para parabenizar um amigo que fazia aniversário e foram alvo de disparos efetuados pelo acusado.

De acordo com informações da Polícia Militar, uma guarnição foi acionada após ser notificada que um policial havia sido alvejado por disparos de arma de fogo no bairro Shell. Ao chegarem ao local, constataram dois indivíduos caídos no chão, em um lugar conhecido como “Beco do Ronaldo”.

No Boletim Unificado, consta que quatro policiais estavam em um bar, onde passaram para parabenizar um amigo que fazia aniversário. Segundo eles, um indivíduo trajando moletom preto, calça jeans preta, toca ninja e mãos cobertas com luva escura, havia saído do beco, levado uma das mãos à cintura e sacado uma arma de fogo.

Os militares perceberam a atitude do suspeito e tentaram intervir na atitude dele. De acordo com o boletim, o homem efetuou disparos em direção a quem estava no bar, momento em que os policiais revidaram.

Durante o confronto, Richard Pereira Rocha, de 35 anos, conhecido como Soldado Rocha, foi atingido na região da cabeça. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Linhares (HGL) por um policial, em um carro particular, com a ajuda de outro cidadão que estava no local. Já Dudu foi atingido no braço esquerdo e na cabeça, ele também não resistiu.

 FORAGIDO

Segundo o delegado Tiago Cavalcante, Jhulian Harlei Alves de Souza, conhecido como Dudu, é um dos acusados de ter matado  ativista Jonas Soprani, de 48 anos, no dia 23 de junho, e estava foragido.

O outro acusado pela execução é José Natalino Santos, conhecido como "Baiano", que já está preso. Além dele, foram detidos Cosme Damasceno, que teria dirigido o carro com os executores; Damião Damasceno, o dono do veículo; e o vereador Waldeir de Freitas (PTB), suspeito de ser o mandante do crime.

Com informações de Eduardo Dias, da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.