ASSINE

Com ajuda de cão farejador, maconha é apreendida na Rodoviária de Vitória

Uma pequena caixa de papelão com 2,7 quilos do entorpecente estava entre as bagagens para não levantar nenhuma suspeita; o material foi farejado pela cadela Kira

Publicado em 06/01/2021 às 17h19
Atualizado em 06/01/2021 às 17h19
Cadela Kira atuou na operação que apreendeu maconha em Vitória
Cadela Kira atuou na operação que apreendeu maconha em Vitória. Crédito: Divulgação | Polícia Civil do Espírito Santo

Quase três quilos de maconha que seriam enviados por meio de uma transportadora para Ecoporanga, no Norte do Espírito Santo, foram apreendidos nesta terça-feira (5) na Rodoviária de Vitória. Segundo informações da Polícia Civil, uma pequena caixa de papelão com 2,7 quilos do entorpecente estava entre as bagagens para não levantar nenhuma suspeita. Apesar disso, o material foi farejado pela cadela Kira.

A operação foi realizada por uma equipe do Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc) e contou com o apoio da Companhia Independente de Operações com Cães (Cioc), da Polícia Militar.

“Chegamos a este carregamento a partir de levantamentos feitos pela equipe do Denarc. O entorpecente seria levado para Ecoporanga, por meio de uma transportadora, como se fosse uma encomenda comum. A empresa colaborou com as investigações e prestou todo o auxílio ao nosso trabalho”, explicou o titular do Denarc, delegado Tarcísio Otoni.

O comandante da Companhia Independente de Operações com Cães (Cioc), major Carlos Magno, destacou o papel do cabo Menezes, juntamente com a cadela Kira: “O resultado da integração policial militar e o cão de faro é o exemplo da complementariedade e a PMES estará sempre à disposição de todo o Sistema de Segurança Pública para a devida atuação".

Cadela Kira atuou na operação que apreendeu maconha em Vitória
A droga estava escondida no meio da bagagem, mas foi descoberta pela cadela Kira. Crédito: Divulgação | Polícia Civil do Espírito Santo

Kira, a cadela que descobriu o entorpecente, é uma pastor belga malinois, criação própria do canil da PMES e filha do cão Eudis, que também atua na Cioc.

Segundo a PCES, o remetente e o destinatário da droga foram identificados e um inquérito policial foi instaurado no Denarc para apurar a responsabilidade criminal dos envolvidos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.