ASSINE

Casagrande sobre PM que bateu em mulher em Guarapari: "Inaceitável"

Gravação divulgada nesta terça-feira (28) mostra um militar dando socos e joelhadas em uma mulher no bairro Lameirão, em Guarapari, no último sábado (25)

Vitória
Publicado em 28/09/2021 às 14h47
Governador Renato Casagrande discursa durante anúncio da reestruturação do serviço de Segurança Pública
Governador Renato Casagrande afirmou que a conduta não representa os valores da polícia do Espírito Santo. Crédito: Helio Filho/Secom

"Inaceitável." É assim que o governador Renato Casagrande (PSB) define a conduta de um policial militar flagrado, em vídeo, dando socos e joelhadas em uma mulher no último sábado (25), em um bairro de Guarapari. Em publicação feita nas redes sociais nesta terça-feira (28), o chefe do governo do Espírito Santo garante ter pedido "apuração rigorosa e providências imediatas" ao Comando Geral da Polícia Militar.

A postagem foi feita por volta das 14h30, pouco após o compartilhamento de um vídeo nas redes sociais. Na gravação, um policial aparece agredindo uma mulher, com socos e joelhadas. Quando a vítima já está imobilizada no chão, o militar ainda dá um tapa no rosto dela. Tudo acontece na presença de um segundo policial. Veja:

Mulher leva joelhada e socos de PM em Guarapari

De acordo com a Polícia Militar, as imagens são de um apoio prestado ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), durante a tarde do último sábado (25), no bairro Lameirão, em Guarapari. Segundo a corporação, a mulher estava em surto, com comportamento agressivo e seria internada contra a própria vontade.

"Assim que a PM tomou conhecimento das imagens, um inquérito foi aberto pela Corregedoria da Polícia Militar para apurar o fato e a conduta dos militares", garantiu. A corporação, no entanto, não informou se os policiais já foram ou serão afastados das respectivas funções.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) informou que a paciente foi transferida no domingo (26) para o Hospital Estadual de Atenção Clínica."Ela está sendo assistida e recebendo atendimento especializado. A direção tenta contato no número de celular cadastrado, mas ninguém atende", afirmou.

VEJA A NOTA DA PM

Na tarde do último sábado (25), policiais militares foram acionados para dar apoio a socorristas do Samu que aguardaram para realizar a internação compulsória de uma paciente que estava em surto e agressiva no bairro Lameirão, em Guarapari. Foi dado o apoio e a mulher entregue à equipe do Serviço de Atendimento para dar o devido encaminhamento. Assim que a PM tomou conhecimento das imagens, um Inquérito Policial Militar foi aberto pela Corregedoria para apurar o fato e a conduta dos militares.

VEJA A NOTA DA SESA

A Secretaria da Saúde informa que a paciente foi transferida, no último domingo (26), para a unidade estadual de referência para atendimento psiquiátrico, o Hospital de Atenção Clínica (HEAC), onde ela está sendo assistida e recebendo atendimento especializado. Esclarece que a direção do Hospital tenta contato com o número de celular cadastrado, mas ninguém atende.

A Sesa esclarece ainda que a porta de entrada da Rede de Atenção Psicossocial é a Atenção Primária em Saúde, ou seja, os municípios. Os pacientes são atendidos e acompanhados nas Unidade Básica de Saúde e pelas Equipes de Saúde da Família. Os casos graves são encaminhados para atenção especializada e são atendidos nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) que, em suas diferentes modalidades, dão suporte para os demais pontos de atenção e realizam o acompanhamento de transtornos mentais graves e persistentes. Em caso de surto psiquiátrico, é preciso acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), para ser encaminhado para o atendimento de urgência e emergência.

A Sesa conta hoje com leitos Psiquiátricos para adultos, no Hospital de Atenção Clínica – HEAC e no Centro de Atendimento Psiquiátrico Aristides Alexandre Campos – CAPAAC, e leitos de saúde mental infantojuvenis no Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba). Além dos leitos próprios, a Sesa conta também com os filantrópicos contratualizados e clínicas credenciadas para atender aos pacientes utilizando o Protocolo Estadual de Classificação de Risco em Saúde Mental para definição de prioridade clínica para internação. São 220 leitos disponibilizados para atendimento na rede privada dentro do Edital de Credenciamento da Sesa que hoje conta com 14 clínicas com contrato em vigor.

Além disso, a Sesa junto a Secretaria de Direitos Humanos trabalha com a triagem e acolhimento de pessoas com dependência química: o Centro de Acolhimento e Atenção Integral sobre Drogas (CAAD). É um serviço de atenção integral no tratamento e cuidado, visando à redução das diversas vulnerabilidades associadas ao uso abusivo de álcool e outras drogas, por meio de uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, assistentes sociais, psicólogos, conselheiros terapêuticos, nutricionista e técnica de enfermagem. Está localizado na Rua Treze de Maio, 47, Centro, Vitória - ES. O horário de funcionamento é das 8h às 16h, de segunda a sexta-feira, com atendimento exclusivo mediante a marcação pelo 0800 0281028.

Atualização

28 de Setembro de 2021 às 19:45

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) enviou uma nota esclarecendo o atendimento prestado à mulher e informando quais os apoios disponíveis no Estado para pacientes psiquiátricos. O texto foi atualizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.