ASSINE

Coronavírus: doença é mais perigosa para idosos, apontam especialistas

Médicos infectologistas apontam que 80% dos casos confirmados foram considerados brandos, com sintomas respiratórios leves

Publicado em 28/02/2020 às 15h03
Atualizado em 28/02/2020 às 15h03
Os idosos são mais vulneráveis ao coronavírus e têm mais chance de desenvolver o quadro grave da doença. Crédito: Pixabay
Os idosos são mais vulneráveis ao coronavírus e têm mais chance de desenvolver o quadro grave da doença. Crédito: Pixabay

Responsável pela morte de 2.859 pessoas em pelo menos sete países, o novo coronavírus é mais perigoso para idosos. Segundo especialistas, a doença atinge, de forma grave, pessoas acima de 60 anos já diagnosticadas anteriormente com diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares. O primeiro caso da doença no Brasil foi confirmado em São Paulo. O paciente é um homem de 61 anos.

Um monitoramento desenvolvido pela Jhons Hopkins University aponta que 83.704 pessoas foram infectadas com a doença. A maioria das ocorrências - 78.824 - foi registrada na China. Do número total de infectados, 36.654 pacientes já se recuperaram. Os dados foram coletados às 9h desta sexta-feira (28).

Um levantamento feito pelo World Meter, apresentado pelo Hospital Albert Einsten, indica que 14,8% das pessoas que morreram por causa do coronavírus tinham mais de 80 anos. Na faixa etária entre 70 a 79 anos, foram 8%. De 60 a 69 anos, morreram 3,6%. Dos que tinham 50 a 59 anos, 1,3%. Até 49 anos, foi 1%. Os dados são de 17 de fevereiro deste ano.

O médico infectologista Lauro Ferreira Pinto destacou que 80% dos casos são considerados brandos, apresentam sintomas semelhantes aos da gripe como febre, tosse e coriza. De acordo com o especialista, em casos graves o infectado ainda apresenta vômito e diarreia.

“Idosos são considerados grupos de risco no caso da gripe, por exemplo. Nesse particular, o coronavírus não é diferente. O que posso dizer é que não há óbitos em crianças abaixo de 10 anos e são raros os casos abaixo de 15 anos. É possível que precise um sistema imune de um pouco mais de idade para ter uma resposta mais exagerada ao vírus."

A infectologista Rubia Miossi ressalta que o Covid-19, por ser uma doença nova, ainda é sinônimo de dúvidas no cenário da medicina. Ela acredita que as pesquisas conduzidas em diversos países possam preencher as lacunas que surgiram desde o início das mortes.

“Não sabemos ainda o porquê dessa predileção por idosos e nem porquê a mortalidade é maior nesse extremo de idade. Mas, normalmente, os agentes infecciosos acometem mais crianças e idosos justamente pelo sistema imunológico ainda não maduro (criança) ou já debilitado (no idoso).”

SINTOMAS

Assim como a gripe Influenza, o novo coronavírus causa febre, tosse, dor no corpo, coriza e nos casos mais graves, vômito e diarreia. O médico infectologista Lauro Ferreira Pinto explicou que o Covid-19 provoca uma síndrome respiratória aguda grave.

“Quando as pessoas têm uma doença crônica, correm mais risco de sofrerem dificuldade respiratória. De certa forma, segue um padrão que já é conhecido na gripe. No caso do coronavírus, a falta de ar é um dos sintomas que devem acender o alerta”, orientou.

Questionada sobre a forma e o período em que se apresentam os sintomas, a infectologista Rubia Miossi também concorda que devem ser observados sinais gripais. Outro fator importante é investigar se o paciente viajou a algum dos países com transmissão do vírus.

“Para quem não visitou esses locais, não há a possibilidade de infecção pelo vírus. Mas há a possibilidade de infecção por outros vírus respiratórios até mais graves, como a Influenza A”, observa Rubia.

COMO SE PROTEGER

  • Higienize as mãos regularmente com álcool em gel  (70%), de 20 a 30 segundos, ou com água e sabão, de 40 a 60 segundos
  • Cubra nariz e boca ao tossir ou espirrar, de preferência com papel descartável, e elimine em seguida
  • Evite tocar olhos, nariz e boca sem higienizar as mãos
  • Evite contato próximo com pessoas que estejam tossindo ou espirrando, ou ainda que retornaram recentemente de viagens para países com casos confirmados de coronavírus

ÍNDICE DE MORTES PELO NOVO CORONAVÍRUS POR FAIXA ETÁRIA

  • Com mais de 80 anos - 14,8%
  • 70 a 79 anos - 8%
  • 60 a 69 anos - 3,6%
  • 50 a 59 anos - 1,3%
  • Até 49 anos - 1%

    Dados de 17/02/2020
    Fonte: Worldmeter

SINTOMAS

Pacientes com Covid-19 apresentaram problemas respiratórios (leves a graves). Os sintomas podem aparecer entre 2 e 14 dias após a exposição.

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar

COMO OCORRE A CONTAMINAÇÃO

Por gotículas respiratórias, contato próximo (cerca de 2 metros de distância) com alguém com os sintomas, ou contato direto com as secreções sem proteção.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Aracruz Espírito Santo SESA Coronavírus aracruz espírito santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.