ASSINE

Turismo do ES ainda sente efeitos da pandemia e avança em ritmo lento

Estudo aponta para estabilidade das atividades do setor no segundo trimestre (-0,1%). Segundo IJSN, avanço da vacinação, deve permitir crescimento nos próximos meses

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 23/09/2021 às 14h04
A Praça Domingos José Martins, em Domingos Martins
A Praça Domingos José Martins, em Domingos Martins. Crédito: Prefeitura de Domingos Martins/Reprodução

O setor de turismo foi um dos mais afetados pela pandemia do coronavírus e ainda não conseguiu retornar aos níveis pré-crise. No segundo trimestre deste ano, as atividades turísticas no Espírito Santo ficaram estáveis (-0,1%) em relação ao trimestre anterior, pontuando desaceleração no ritmo de crescimento. No primeiro trimestre, por exemplo, setor avançou 1,6%.

Os dados são do Boletim Economia do Turismo no Espírito Santo, divulgado nesta quinta-feira (23). O estudo é feito trimestralmente numa parceria entre o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Somando todos os segmentos, o setor de turismo ocupa hoje 137,5 mil pessoas no Estado, sendo 75,7 mil trabalhadores com carteira assinada e 61,8 mil trabalhadores informais, grupo que paralisou ou reduziu as atividades em grande escala durante a crise sanitária e econômica.

Este vídeo pode te interessar

Apesar de o estoque geral de vagas ter crescido em relação ao segundo trimestre de 2020 (134 mil), o saldo de contratações formais, no trimestre, foi negativo. Foram extintos 842 postos de trabalho a mais do que foram criados entre abril e junho.

O segmento de alimentação, que inclui bares e restaurantes, foi o que mais fechou postos de trabalho celetistas no trimestre: - 657 vagas.

Em relação ao período de abril a junho de 2020, saltou 76,2%. Entretanto, o crescimento só é tão expressivo por conta da base de comparação, isto é, o segundo trimestre do ano passado, que resultou em queda brusca de todas as atividades econômicas. Essa mesma lógica explica o crescimento de 12,8% no primeiro trimestre.

Porém, enquanto o estudo reflete os dados observados até junho, já é esperado que os próximos indicadores tragam resultados mais positivos. Conforme observou o presidente do IJSN, Daniel Cerqueira, o avanço da vacinação contra a Covid-19 tem feito com que cada vez mais pessoas decidam viajar e explorar novos lugares, o que beneficia o Espírito Santo, que tem opções diversas a oferecer.

“Os dados captam um momento muito ruim da atividade turística, diante da questão da pandemia. Mas o que os dados estão mostrando também é que esse momento passou, já estamos com estabilidade e, na margem, se pegarmos os últimos dados, já apontam para um crescimento que pode ser bastante robusto.’

Daniel Cerqueira

Presidente do IJSN

"Estamos num momento da pandemia em que houve um avanço da vacinação. Hoje, quando olhamos o mapa de risco, o Espírito Santo é verde. Aparentemente, o pior ficou para trás. Além disso, as pessoas ficaram isoladas esse tempo todo e estão loucas para viajar"

Hoje, as atividades turísticas são responsáveis por cerca de 6,9% do Produto Interno Bruto (PIB) capixaba e respondem por 7,4% do número total de pessoas ocupadas no Espírito Santo. Dentre os segmentos que mais se destacam, está o da alimentação.

“Gastronomia segue sendo nosso carro chefe e isso é muito positivo. É uma gastronomia variada. E é importante para o turismo ter essa diversidade de oferta”, destacou Rafael Granvilla Oliveira, gerente de Estudos e Negócios Turísticos da Secretraria de Estado do Turismo (Setur).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.