ASSINE

Presidente Kennedy é a cidade mais rica por morador, mas riqueza é da prefeitura

O município tem o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do país, chegando a R$ 464.883,49; mas a geração de emprego, que é o que efetivamente contribui para o aumento de renda da população, ainda é fraca

Tempo de leitura: 3min
Vitória
Publicado em 17/12/2021 às 16h45

O município de Presidente Kennedy, no Sul do Espírito Santo, continua a ter o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do país. Isto é, a soma das riquezas produzidas pela cidade, dividida pelo número de habitantes, é a maior de todo o Brasil, chegando a R$ 464.883,49.

O PIB daquele município é 13,2 vezes maior que o PIB per capita brasileiro ( R$ 35.161,70) e cerca de 13,6 vezes maior que o do Estado (R$ 34.177). Os dados, que se referem ao ano de 2019, foram divulgados nesta sexta-feira (17) pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números detalhados de Estados e municípios de cada período são liberados sempre após dois anos.

Presidente Kennedy, Sul do Estado
Presidente Kennedy, Sul do Estado . Crédito: Divulgação/PMPK

O resultado é amparado pelas atividades de produção e exploração de petróleo, que levam ao município, todos os anos, cifra expressiva em royalties. Trata-se de uma compensação financeira pelas atividades, mas embora seja um recurso importante, não é uma riqueza que necessariamente significa renda da população, e sim mais dinheiro para aplicação em áreas estratégicas, definidas pelo poder público.

GERAÇÃO DE EMPREGO É FRACA

A geração de emprego que é o que efetivamente contribui para o aumento de renda da população, ainda é fraca. No ano de 2019, em que os resultados foram analisados, Presidente Kennedy registrou saldo positivo de empregos formais, mas abriu somente 56 vagas a mais do que fechou naquele período. O saldo foi anulado em 2020, quando 88 vagas foram extintas, de acordo com dados do Caged, do Ministério da Economia.

OUTROS MUNICÍPIOS

O segundo município do Espírito Santo em termos de PIB per capita é Itapemirim (R$ 140.287,91), que ocupa a 39ª posição nacional no ranking das cidades com melhor desempenho. Também na lista principal está a cidade de Marataízes (41ª), com PIB per capita de R$ 137.000,71. Nenhum outro município capixaba está entre os 100 primeiros no ranking geral.

“É sabido que PIB per capita não significa necessariamente renda per capita da população. É preciso chamar atenção, então, para a importância do Fundo Soberano criado pelo Governo do Estado. Essa iniciativa faz com que os ganhos econômicos obtidos com a produção de petróleo e royalties sejam transformados em benefícios sociais para o futuro da população capixaba”, ressaltou o diretor-presidente do IJSN, Daniel Cerqueira.

Os dez municípios com os maiores PIB per capita no país em 2019 somavam 1,5% da economia nacional, de acordo com o levantamento do IBGE. Em segundo lugar no ranking, vem Ilhabela (SP), com R$ 428.020,22, também impulsionado pela extração de petróleo.

O terceiro lugar foi de Selvíria (MS), R$ 353.522,30, seguido por Paulínia (SP), com R$ 341.552,82; Louveira (SP), com R$ 328.612,49; São Gonçalo do Rio Abaixo (MG), com R$ 313.035,00; Sales Oliveira (SP), com R$ 308.567,36; Canaã dos Carajás (PA), com R$ 288.812,06; Iracemápolis (SP), com R$ 286.384,27; e Triunfo (RS), com R$ 283.449,62.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.