ASSINE

Nova ferramenta vai "caçar" celular pirata e bloquear ofertas em sites

Segundo superintendente de Fiscalização da Anatel, Wilson Wellisch, a expectativa é de que sistema entre em funcionamento ainda neste ano, antes da Black Friday e do Natal

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 07/10/2021 às 20h23
Pessoa usando o celular
Anatel vai lançar uma ferramenta para que os sites de comércio eletrônico façam consulta prévia ao código de homologação dos produtos. Crédito: Freepik

Os celulares conectados com algum tipo de internet — incluindo roteador ou Wi-Fi — precisam estar homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Entretanto, com a popularização da tecnologia, em diversos sites de e-commerce é possível achar aparelhos de última geração com preços tentadores, telefones considerados "piratas", que entram na mira da Anatel e de órgãos de defesa do consumidor.

Para evitar que aparelhos ilegais cheguem ao consumidor, ainda neste ano, antes da Black Friday e do Natal, uma ferramenta desenvolvida pela Agência vai entrar em funcionamento para "caçar" celulares piratas vendidos no comércio eletrônico. Em entrevista à CBN Vitória, o superintendente de Fiscalização da Anatel, Wilson Wellisch, explica sobre a nova medida. Ouça a entrevista na íntegra: 

De acordo com Wellisch, desde 2018  a Anatel possui um plano de combate a produtos piratas no mercado brasileiro e as ações crescem cada vez mais com o passar dos anos.  "Começou no ano de 2018 com apreensões que chegaram a cerca de 200 mil produtos e, no ano de 2020, tivemos uma crescente para 500 mil produtos. Atualmente, já estamos perto de 2 milhões de produtos e isso demonstra a efetividade da ação de produtos não homologados", afirmou. 

A homologação, segundo o superintendente de Fiscalização da Anatel, vai garantir ao aparelho uma espécie de selo de qualidade. A partir dele, os consumidores saberão que o produto foi submetido a avaliações de segurança elétrica — quando são verificados riscos de superaquecimento, explosão, choque e até limites de exposição a campos eletromagnéticos. 

Da mesma forma que, para evitar que aparelhos ilegais cheguem ao consumidor, a ferramenta permitirá que os sites de comércio eletrônico — os chamados Market Places — façam uma consulta prévia ao código de homologação dos produtos antes que o anúncio seja veiculado na página, confirmando se são de procedência segura. 

Wilson Wellisch

Superintendente de Fiscalização da Anatel

"Estamos fazendo uma grande ação com empresas conhecidas do público, podendo citar nomes como: Magazine Luiza, Carrefour, Casas Bahia, Amazon, para que elas adotassem uma postura preventiva e não permitissem a comercialização de produtos não homologados"

O superintendente explica que, a partir da regularização, a ferramenta vai confirmar se o número é válido, se não for, o anúncio nem será veiculado no site, considerado "caçado" e bloqueado.  "Desta forma, evitamos que aparelhos ilegais cheguem ao consumidor", disse. 

Wellisch explicou que muitos consumidores, ao realizarem compras em sites considerados confiáveis no meio on-line, acreditam  que estão consumindo produtos seguros. "Infelizmente, ainda há empresas de comércio eletrônico que não aderiram nem às boas práticas do Conselho Nacional de Combate à Pirataria, podendo ter casos de produtos que não foram realizados os testes da Anatel, atestando se o produto vai dar um problema e gerar riscos à vida do usuário", destacou. 

Ainda segundo Wilson, com a exigência do código de homologação, além de aumentar a segurança para compradores, também é gerado mais facilidade no trabalho de fiscalização da Anatel. "Muitas plataformas de vendas já estão aderindo ao serviço por meio de uma medida preventiva, enquanto isso, estamos realizando novas discussões técnicas para aprimorar cada vez mais o sistema de selo de qualidade aos produtos", concluiu. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Brasil Brasil Brasil Tecnologia cbn vitoria Celular

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.