ASSINE

Custando o dobro do valor inicial, sede do TRT em Vitória fica pronta

Novo prédio da Justiça do Trabalho que fica na Enseada do Suá será inaugurado no dia 17 de fevereiro após quase uma década de obras

Publicado em 24/01/2020 às 21h35
Atualizado em 17/02/2020 às 14h00
Nova sede do Tribunal Regional do Trabalho na Enseada do Suá. Crédito: Carlos Alberto Silva
Nova sede do Tribunal Regional do Trabalho na Enseada do Suá. Crédito: Carlos Alberto Silva

Depois de quase uma década de obras, entre problemas contratuais, paralisações, inclusão de novos serviços e mudanças no orçamento inicial, a nova sede do Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES), na Enseada do Suá, em Vitória, enfim ficou pronta e tem data marcada para a inauguração: 17 de  fevereiro. 

Em 2009, quando a obra foi anunciada, o custo orçado era de R$ 108,5 milhões. Porém, diante de tantas intempéries - além de correções monetárias - o empreendimento consumiu ao todo R$ 222,1 milhões, praticamente o dobro do primeiro orçamento.

O aumento, aliás, não se restringiu ao gasto de recursos públicos. O prazo para conclusão da obra também foi sendo revisto e ultrapassou em seis anos a data inicial para qual estava prevista a entrega. Apesar da execução ter sido contratada em janeiro de 2009, o prédio começou a ser construído em 2011 e deveria ficar pronto em 2014, o que não ocorreu. Depois de falhas na fundação do edifício foi necessário refazer todo o serviço. 

Área interna da nova sede do TRT: prédio ficou pronto após quase uma década de obras . Crédito: TRT
Área interna da nova sede do TRT: prédio ficou pronto após quase uma década de obras . Crédito: TRT

Em entrevista à TV Gazeta no início de 2018, o então presidente do órgão, Mário Ribeiro Cantarino Neto, afirmou que o último atraso ocorreu pela falta de repasse de orçamentos do Tribunal Superior do Trabalho (TST), para incrementar o ritmo da obra. "Dinheiro até que tem, faltou autorização para gastá-lo”, justificou na época.

Nesta sexta-feira (24), por nota, o TRT informou que o valor atualizado da obra é de R$ 222.172.008,96 e que a ocupação do prédio da Justiça do Trabalho foi iniciada desde o final de 2019, com a transferência da “sala cofre” - estrutura que abriga o data center do tribunal - e grande parte dos processos físicos arquivados.

Cobertura da nova sede do TRT: prédio ficou pronto após quase uma década de obras . Crédito: TRT
Cobertura da nova sede do TRT: prédio ficou pronto após quase uma década de obras . Crédito: TRT

"O complexo e gradual processo de ocupação está sendo cuidadosamente planejado por vários fatores técnicos e, inclusive, para que o comprometimento na prestação dos serviços seja zero, ou quase isso; conforme, aliás, já vem acontecendo desde o ano passado", afirmou em nota.

Ainda segundo o Tribunal, o prédio tem uma área interna planejada para que todos os setores tenham basicamente o mesmo tamanho do espaço atual.

ESPAÇO DO TRT-ES NÃO DEVE SER COMPARTILHADO

Como o projeto da nova sede da Justiça do Trabalho no Estado foi aprovado há mais de 10 anos, em 2008, o órgão passou por grandes mudanças nesse tempo. Ao passo em que os processos passaram a ser eletrônicos nesse tempo (reduzindo a necessidade de espaço para guardar a papelada), foi se percebendo que a estrutura gigante pensada há tantos anos devia ficar com espaços ociosos e subutilizados, conforme A Gazeta mostrou em 2018.

Em nota enviada nesta sexta-feira (24) para a reportagem, o TRT-ES reforçou isso afirmando  que "o  prédio é da Justiça do Trabalho e por ela será ocupado".

ENTENDA PORQUE A OBRA DO TRT-ESDEMOROU PARA FICAR PRONTA

Licitação

A tomada de preços para a construção da sede do TRT-ES começou em 2006 e foi concluída apenas em 2008. Porém, a obra só começou a sair do papel em 2011. O valor inicial da obra era de R$ 108.519.331,33 (sem correção monetária) e seria entregue em três anos e meio. 

Andamento da obra

A obra da sede do TRT começou em 2011 e foi dividida em três etapas: projeto de engenharia e arquitetura; as fundações; e a construção do prédio, que ficaria com a construtora Paulo Octávio por R$ 108,5 milhões. A obra representaria uma economia para a União, já que a Justiça do Trabalho desocuparia cinco prédios alugados em que atua na Grande Vitória.

Paralisação

Em maio de 2011, a construtora Paulo Octávio instalou o canteiro de obras, mas a construção não foi iniciada por falhas na fundação. O TRT paralisou a obra em outubro de 2012 e fez perícia que custou R$ 300 mil. Os trabalhos foram retomados em julho de 2014.

Atraso

Três anos após o início das obras, a nova sede ainda não havia saído do chão, sendo que o prazo para término dos serviços era setembro 2014.

Andamento

Em setembro de 2016, o TRT disse que a obra tinha atingido 32% de sua execução e estava concluindo o oitavo pavimento da Torre do Fórum, que tem ao todo dez andares. No outro prédio, que vai abrigar os setores administrativos, já havia sido concluída a estrutura de sete dos 18 andares.

Inauguração

O prédio do TRT fica em uma área de 9.591,98m² na Enseada do Suá, em Vitória, e tem uma área de 50.566,24m² construída. A inauguração foi marcada para 17 de fevereiro de 2020.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.